26 novembro 2007

Autocarros de luxo

A partir de hoje estarão disponíveis na cidade de Maputo cinco autocarros de luxo da empresa Transportes Públicos de Maputo, com "serviço especial de aluguer". Com a cidade literalmente controlada pelos chapas, com as elites fazendo uso de viaturas ligeiras de luxo e com os fretes de serviços especiais de transporte a cargo de empresas já estabelecidas, resta saber quem serão os utenses dos autocarros. Creio que dá um excelente trabalho de pesquisa, a começar pelo estudo de viabilidade comercial eventualmente feito pela empresa.

7 comentários:

Unknown disse...

Parabéns aos TPM e que continuem a fazer o transporte público com segurança e dignidade.

Júlio Mutisse disse...

Me parece que a medida dos autocarros de luxo não foi tomada a toa.

A julgar pela notícia contida no Media_Fax de hoje em que se perspectiva o "ataque" ao transporte interprovincial, parece que há planos na TPM.

Esperemos para ver. A acrescer aos parabéns dados pelo Wetela, dizer parabéns pela tentativa de diversificar serviços rumo à estabilidade que permita manter a empresa e os trabalhadores, com medidas tendentes a fazer da empresa competitiva.

Unknown disse...

Sim Mutisse, julgo que os TPM estão a registar uma nova era da sua história com grandes inovações e melhorias. Espero bem que hajam planos nos TPM. Uma frota interprovincial é bem vinda. Muita Força.

Anónimo disse...

Eu nao creio que os TPM devam entrar directamente nas rotas interprovinciais. Seria desviar-se do seu papel principal, que ate tem cumprido com muita deficiencia. Se os gestores dos TPM querem entrar no negocio de rotas interprovinciais, entao que se crie uma subsidiaria para tal e nao misturar alhos e bugalhos.

Litos

Martin de Sousa disse...

Litos, talvez tenhas razão. A empresa deveria diversificar serviços sim, mas sem descurar o seu objectivo fundamental: prover serviço público de transporte na capital do serviço onde as insuficiências geram ineficiência. De onde lhe virá capacidade para atacar o interprovincial que lhe falte para atacar o urbano? Porque não potenciar antes, o principal?

Anónimo disse...

Creio que os TPM querem atacar um segmento importante, aquele constituído pelos turistas que queiram circular ao redor de Maputo. Iniciativa louvável! Ademais, se os privados notarem sustentabilidade no projecto, tenderão também a lançar-se nesta iniciativa.

Não creio que os TPM queiram lançar-se na exploração das rotas inter-prvinciais. Descaracterizar-se-iam.

Obed L. Khan

Anónimo disse...

--Concordo com o Carlos quando diz que os "luxuosos" podem ate' produzir teses de doutoramentos e pesquisas avulsas. A ver vamos!

--Com esta frota so' se confirmou que Mozambique e' Maputo, de facto. Por vergonha a Frel e' forc;a de expandir o TRANSPORTE PUBLICO DE MAPUTO (TPM) 'a outras provincias. Desmintam-me se nao e'!

--Mas calma ai', porque nao olhar na sugestao do Martin de Sousa neste assunto? Ficava bem...
Masu