15 novembro 2018

É sagrado

O comum de nós não analisa o poder político, aceita-o como algo fisicamente natural, como um fenómeno tão natural quanto comer ou respirar. Quando muito pode achar que há excesso ou pequenez de poder ou inscrevê-lo nas categorias de justo e injusto, de bom e mau, mas o poder em si, o puro poder político, esse não o recusa, consente nele, aceita-o quotidianamente, é sagrado.

14 novembro 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [93]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações." (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p.6).
-"No terreno, a nossa equipa de reportagem interpelou muitos jovens sobre o assunto, no entanto, ninguém conseguiu apresentar prova desta informação, limitanto-se apenas a afirmar que circulava informação de que muitos jovens estavam a ser recrutados para tropa.” – in “O País” digital de 28/11/2013.
Número inaugural da série aqui. Número anterior aqui.
Prossigo a história do rumor do tira-camisa.
Que consequências terríveis teve a guerra citada, na qual 28% dos desmobilizados tinha menos de 18 anos? Por exemplo: um milhão de mortos, 454 mil crianças de idade inferior a 15 anos mortas entre 1981 e 1988, 23% de crianças entre os feridos registados nas unidades sanitárias, sete mil crianças deficientes devido às minas entre 1980 e 1993, 50 mil pessoas amputadas, das quais sete mil crianças e mulheres. Prossigo nas consequências no número seguinte.
Nota: os rumores que estou a apresentar não seguem uma ordem cronológica.

13 novembro 2018

Moçambicanidade lutadora e criadora

O meu sapateiro, esforçado artesão que trabalha dias a fio junto a uma escola, fez-me novas sandálias. Um exemplo de moçambicanidade lutadora e criadora.

Poder político

Produto de uma relação complexa, física e psíquica, entre quem governa e quem é governado, o poder político ganha-se de duas maneiras: directamente pela força ou pelas eleições, indirectamente pelo crédito popular espontâneo.

12 novembro 2018

Uma coluna semanal

"Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19. Confira na edição 1296 de 09/11/2018. Livro no preloSe quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

11 novembro 2018

Pedestais sacralizados

Seres humanos como nós são idolatrados como se deuses fossem, são ritualmente colocados em pedestais sacralizados, reverenciados como se de entidades supra-humanas fossem. Cumprimos cegamente e, quantas vezes, alegremente, as suas ordens.

10 novembro 2018

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1296, de 09/11/2018.
Nota: o acesso ao Savana digital tornou-se um exclusivo dos assinantes razão por que deixei de colocar a edição completa aqui e na "crónica semanal" que divulgo à segunda-feira.

09 novembro 2018

Futebol

O futebol é uma das mais imponentes e mediáticas formas de religião profana da actualidade.

08 novembro 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [92]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações." (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p.6).
-"No terreno, a nossa equipa de reportagem interpelou muitos jovens sobre o assunto, no entanto, ninguém conseguiu apresentar prova desta informação, limitanto-se apenas a afirmar que circulava informação de que muitos jovens estavam a ser recrutados para tropa.” – in “O País” digital de 28/11/2013.
Número inaugural da série aqui. Número anterior aqui.
Prossigo a história do rumor do tira-camisa.
Pela sua violência, pelas consequências, fazendo movimentar guerrilheiros, soldados e veículos militares, os confrontos militares em Muxúnguè causaram pânico, reacendendo, pela boca dos mais velhos, pelo bula-bula subsequente, a memória de uma guerra que se supunha definitivamente enterrada em 1992, de consequências terríveis.
Nota: os rumores que estou a apresentar não seguem uma ordem cronológica.

07 novembro 2018

Heróis

Os heróis são tantos quantas as nossas necessidades em guias, em referenciais, em modelos de conduta, em juízes, em territórios de combate, em futuros. E, regra geral, consoante a intensidade e a extensão das lutas entre grupos sociais ou nacionais. Os impuros de uns são os puros de outros e vice-versa.

06 novembro 2018

Maputo cidade cosmopolita

A cidade de Maputo está cada vez mais cheia de pessoas das mais variadas nações, etnias e religiões. É, verdadeiramente, uma cidade mundial, uma cidade cosmopolita, cruzando as mais diversas etapas históricas, feérica entre passado e futuro.

05 novembro 2018

Uma coluna semanal

"Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19. Confira na edição 1295 de 02/11/2018. Livro no preloSe quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.
Gralhas do jornal: onde está 603, devia estar 604; onde está 26, devia estar 27.

04 novembro 2018

Festas

Comer, beber, dar curso ao excesso, fazer amor em cima das nuvens, romper as amarras da conveniência: eis a desforra libertária. É como se a razão precisasse de emoções para dar aos carris da vida o sentido de uma normalidade desabrida.

03 novembro 2018

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1295, de 02/11/2018.
Nota: o acesso ao Savana digital tornou-se um exclusivo dos assinantes razão por que deixei de colocar a edição completa aqui e na "crónica semanal" que divulgo à segunda-feira.

02 novembro 2018

Cinestesia

Abunda a cultura de mercadoria, de divertimento, de coisa fácil, de coisa digerida, da coisa sensacional, abunda o eclipse do pensamento crítico. Deixamos de pensar, para apenas sermos cinestesia.

01 novembro 2018

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [91]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações." (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p.6).
-"No terreno, a nossa equipa de reportagem interpelou muitos jovens sobre o assunto, no entanto, ninguém conseguiu apresentar prova desta informação, limitanto-se apenas a afirmar que circulava informação de que muitos jovens estavam a ser recrutados para tropa.” – in “O País” digital de 28/11/2013.
Número inaugural da série aqui. Número anterior aqui.
Prossigo a história do rumor do tira-camisa.
Os ataques armados levados a cabo na zona de Muxúnguè são o primeiro dos fenómenos especiais a ter em conta.
Nota: os rumores que estou a apresentar não seguem uma ordem cronológica.