29 novembro 2007

89 novos médicos em Moçambique

Na graduação hoje efectuada no pavilhão gimnodesportivo da Universidade Eduardo Mondlane, com a presença do presidente da República, Armando Guebuza, 89 novos médicos procederam ao juramento de Hipócrates, em cerimónia presenciada por milhares de pessoas. Amanhã aqui postarei uma intervenção que fiz na minha qualidade de padrinho dos estudantes graduados.

6 comentários:

Xiluva/SARA disse...

Tão bom! Parabéns UEM!

Anónimo disse...

> Benvindos!
> Saibamos dar-lhes condições de dignidade para a sua realização pessoal e profissional.
FM

Unknown disse...

Julgo que o juramento de Hipócrates não passa apenas de uma leitura de praxe para os estudantes graduados em medicina. Digo isso porque nos últimos tempos a saúde tem se tornado num negócio bastante lucrativo para alguns praticantes da medicina.Há quem diz que a saúde não tem preço,concordo. Nenhum dinheiro do mundo compra a nossa saúde. Fico intrigado quando muitas vejes vejo pais aflitos com um filho entre vida e a morte apenas porque não tem como aranjar 20.000USD para para levar a cabo uma operação delicada. Neste caso onde ficam os apelos do juramento?

Carlos Serra disse...

Coloca uma questão vital. Já algum dia leu a "oração de sapiência" que em 1997 (creio) proferi no início do ano académico na Faculdade de Medicina?

Anónimo disse...

Boa notícia.
Esperemos é que não se fiquem todos por Maputo. Há muito mais por onde escolher e com necessidades muito superiores.
Infelizmente a primeira escolha (senão única) é o "pequeno Moçambique". Afinal de contas quer tudo o/a capital.

AC

Carlos Serra disse...

Todos eles vão agora fazer o habitual estágio pelos distritos.