19 setembro 2019

Cinco novos livros

Cinco novos livros da coleção "Cadernos de Ciências Sociais" da "Escolar Editora" estarão à venda a partir de hoje também em Maputo, na Livraria Escolar Editora. Logo que possível mostrarei aqui as capas e contracapas.

18 setembro 2019

Pode inscrever-se até 01 de Novembro

Aqui. Amplie a imagem clicando sobre ela com o lado esquerdo do rato. Resultados das edições de 2016 (aqui, aqui, aqui) e 2018 (aqui).

17 setembro 2019

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [140]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações." (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p.6).
Número inaugural da série aqui. Número anterior aqui.
Prossigo a história do rumor da prisão da chuva no céu.
Numa primeira fase, os aldeões tinham para si que algum trâmite linhageiro tinha sido desrespeitado na aldeia, pelo que urgia apaziguar os espíritos dos antepassados.
Nota: os rumores que estou a apresentar não seguem uma ordem cronológica.

16 setembro 2019

Uma coluna semanal

"Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19 com 148 palavras. Edição 1340 de 13/9/2019. Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

15 setembro 2019

Medida

Se o homem é a medida de todas as coisas, a política é a medida de todos os heróis.

14 setembro 2019

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1340, de 13/09/2019.
Nota: o acesso ao Savana digital tornou-se um exclusivo dos assinantes razão por que deixei de colocar a edição completa aqui e na "crónica semanal" que divulgo à segunda-feira.

13 setembro 2019

Definições e etiquetas

A produção regular, oficial e pública de definições e de etiquetas não é actividade de qualquer um. Assim, certos grupos hegemónicos controlam ciosamente os seus meios de produção, estabelecendo, mesmo, a sua propriedade. É a partir dos meios de produção de definições e etiquetas que os grupos e seus intelectuais definem politicamente os comportamentos como bons e maus, normais e anormais, justos e injustos, permitidos e interditos.

12 setembro 2019

Sem poder mediúnico

Faz anos já que, no decorrer de um programa televisivo, um jornalista perguntou-me o que achava da qualidade do ensino no país. Senti que ele ficaria feliz se eu dissesse algo como "Bem, a qualidade é má, porque..., etc.". Mas respondi que não sabia por não ter procedido a uma investigação sobre o tema, coisa que não agradou não jornalista. Por outras palavras, faltava-me o poder mediúnico de certas pessoas que sabem sempre se uma coisa está bem ou mal sem investigação a propósito. Faltava-me e falta-me, pois continuo sem ter podido investigar.

11 setembro 2019

Indivíduos-mónadas

Transformar a sociedade numa colecção de indivíduos-mónadas, definitivamente estranhos aos grupos e às contradições sociais, é um dos princípios fundamentais da epistemologia neoliberal.

10 setembro 2019

Mentalidade essencialista

O embelezamento e a imutabilização dos fenómenos e das tradições constituem dois eixos fundamentais da mentalidade essencialista, aquela que liquefaz o social no natural.

09 setembro 2019

Uma coluna semanal

"Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19 com 148 palavras. Edição 1339 de 06/9/2019. Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

Pedido de compreensão

Por razões técnicas alheias à minha vontade não me foi possível extrair a minha coluna semanal do Savana 1339 de 06/9/2019. Logo que o problema esteja resolvido, insiro-a.

08 setembro 2019

Mais difícil democratizá-la

Defensores acérrimos da democracia tornam-se rapidamente anti-democráticos mal saem do território do seu partido e têm de fazer face a outros partidos; apologistas da concórdia em nome de Deus, tornam-se assassinos em nome do mesmo Deus mal saem da órbita da sua religião e são confrontados com outras religiões; defensores da liberdade polígama, impedem a liberdade dos homossexuais perseguindo-os e/ou matando-os; propaladores da igualdade humana são os primeiros a negá-la com ataques xenófobos, étnicos ou raciais; descolonizadores insignes de outrora, são os primeiros a colonizar outrem hoje. Muitos outros exemplos podem ser dados. É fácil defender a democracia, mas é bem mais difícil democratizá-la.

07 setembro 2019

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1339, de 06/09/2019.
Nota: o acesso ao Savana digital tornou-se um exclusivo dos assinantes razão por que deixei de colocar a edição completa aqui e na "crónica semanal" que divulgo à segunda-feira.

06 setembro 2019

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [139]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações." (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p.6).
Número inaugural da série aqui. Número anterior aqui.
Prossigo a história do rumor da prisão da chuva no céu.
Quando a estiagem se prolongava e em Janeiro ainda não tinha chovido, as comunidades zambezianas entravam em convulsão: importava saber quem prendera a chuva no céu e encontrar, célere, o mecanismo que permitisse desprendê-la. Nestes casos, a pergunta nunca era nem é: o que amarra a chuva no céu? Mas, antes, esta: quem amarra a chuva no céu?
Nota: os rumores que estou a apresentar não seguem uma ordem cronológica.

05 setembro 2019

Independentemente

São inúmeros os seminários em luxuosas salas nos quais se exibem propostas, roteiros, guiões e prazos de combate à pobreza, absoluta segundo uns, relativa segundo outros. Este fenómeno, esta pobreza, produto de relações sociais de um dado tipo, aparece, porém, como um problema tecnicamente abordável e curável com coisas e números, independentemente das relações.

04 setembro 2019

Banalidade

Enunciando uma banalidade: quanto mais importante o cargo do chefe, mais aparatoso é o poder motorizado do qual faz uso.

03 setembro 2019

Inscrições até 01 de Novembro

Aqui. Amplie a imagem clicando sobre ela com o lado esquerdo do rato. Resultados das edições de 2016 (aqui, aqui, aqui) e 2018 (aqui).

02 setembro 2019

Uma coluna semanal

"Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19 com 148 palavras. Edição 1338 de 30/8/2019. Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

01 setembro 2019

Sobre correr

Podemos correr por necessidade de saúde e podemos correr por necessidade de emprego, podemos correr porque dispomos de tempo para isso e podemos correr porque não temos senão o tempo de chegar ao emprego.

31 agosto 2019

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1338, de 30/08/2019.
Nota: o acesso ao Savana digital tornou-se um exclusivo dos assinantes razão por que deixei de colocar a edição completa aqui e na "crónica semanal" que divulgo à segunda-feira.

30 agosto 2019

Evacuação da história

Há como que um consenso elitário em torno de uma africanidade essencial, biologizada e a-histórica, agindo homeostaticamente em todos os Africanos, operando a modos de um tropismo ou de um reflexo pavloviano. Nas palavras de Balandier, como se fixadas num eterno presente etnográfico. Um bom e recorrente exemplo é o de muitos de nós dizermos, serena e quantas vezes publicamente, que a norte do Zambeze as populações são matrilineares e a Sul, patrilineares, como se só esse pudesse ser o fatal e congelado destino dos Moçambicanos.

29 agosto 2019

Para a psicologia dos rumores em Moçambique [138]

-Lenda urbana, boato ou rumor é "um relato anónimo, breve, com múltiplas variantes, de conteúdo surpreendente, contado como verdadeiro e recente num meio social do qual exprime de maneira simbólica os medos e as aspirações." (in Renard, Jean-Bruno, Rumeurs et légendes urbaines. Paris: PUF, 2006, 3.e éd., p.6).
Número inaugural da série aqui. Número anterior aqui.
Prossigo a história do rumor da prisão da chuva no céu.
Relatórios coloniais e, especialmente, textos do falecido padre Giovanni Battista Brentari (missionário que foi na Zambézia, com quem falei entre 1978 e 1982) vão permitir-me colocar aqui o quadro social que, na Zambézia, escora a crença de que a chuva foi amarrada no céu.
Nota: os rumores que estou a apresentar não seguem uma ordem cronológica.

28 agosto 2019

Entregue 43.º

Entreguei à "Escolar Editora" os textos do 43.º livro da coleção "Cadernos de Ciências Sociais", intitulado "O que são desigualdades sociais?", com co-autoria de Teresa Seabra de Portugal, Rita Barradas do Brasil, Cesaltina de Abreu de Angola e José d´Assunção Barros do Brasil.

Especialistas de opiniões

Há os que sem pesquisarem, sem passarem pela empiria do trabalho de terreno, de tudo entendem saber, sobre tudo sabem opinar e moralizar, tomando o que pensam pelo que é, o que é pelo que idealizam, confundindo a sua opinião com a realidade, o dever ser com o ser, convertendo pessoas e fenómenos ao seu sistema de crenças e prejuízos.

27 agosto 2019

Facebooko, logo existo

Escrever simples, com corruptelas, com abreviações, como que descuidadamente de propósito, é, em meu entender, um dos aspectos mais marcantes do confessionalismo digital, bem vincado, por exemplo, no Facebook. Gente com cursos superiores desce ao rés-do-chão da vida, gente que já aqui está aqui permanece, temas complexos sofrem um tratamento galhofeiro, um banho terra-a-terra, uma reinvenção de banalidade benévola. Criam-se assim ambientes tu-cá-tu-lá, íntimos, informais, naturais, professados sem problemas pelos membros de cada grupo de chat, cheios do estimulante Like e da adição sem pausa de ciberamigos, de fonismos do tipo eheheheheh ou kkkkkkkkk ou rsrsrsrsrs, adubados pelos anglicismos, etc.

26 agosto 2019

Uma coluna semanal

"Fungulamaso" (=abre o olho, está atento, expressão em ShiNhúnguè por mim agrupada a partir das palavras "fungula" e "maso") é uma coluna semanal do "Savana" sempre na página 19 com 148 palavras. Edição 1337 de 23/8/2019. Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

25 agosto 2019

Pretendentes a cargos

O tempo das eleições, em seus múltiplos e sinuosos subtempos, é o tempo das ansiedades, enormemente prêenseis, dos pretendentes a cargos.

24 agosto 2019

Uma coluna de ironia

Na última página do semanário "Savana" existe uma coluna de ironia - suave nuns casos, cáustica noutros - que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Segue-se um extracto reproduzido da edição 1337, de 23/08/2019.
Nota: o acesso ao Savana digital tornou-se um exclusivo dos assinantes razão por que deixei de colocar a edição completa aqui e na "crónica semanal" que divulgo à segunda-feira.

23 agosto 2019

Um prémio

Aqui. Amplie a imagem clicando sobre ela com o lado esquerdo do rato. Resultados das edições de 2016 (aqui, aqui, aqui) e 2018 (aqui).