16 março 2007

Saque da madeira em Nampula com porto de Nacala como porta de saída




"O porto de Nacala é descrito como `porta´ de saída de diversas espécies de madeira retirada do país, com o aparente envolvimento dos líderes comunitários. Fontes que revelaram o facto a nossa Reportagem, apontaram os distritos de Meconta, Mogincual, Monapo, Eráti e Muecate, como regiões, cujos recursos florestais são explorados sem a observância de critérios plausíveis. A título de exemplo, no ano passado foram apreendidos no distrito de Meconta 137 toros, correspondentes a 40,035 metros cúbicos de jambire, pau-rosa e janfuta, contra 18 toros, de igual período do ano anterior. Na cidade de Nacala-Porto, onde o cenário é descrito de `dramático´, o governo apreendeu em 2006 mais de 70 mil metros cúbicos de diversas espécies de madeira que viriam a ser vendidas em hasta pública, no valor de 250.000 meticais." - fonte: "Wamphula Fax", citado pelo "imensis".
__________________
No momento em que se multiplicam os testemunhos de uma grande depredação das nossas florestas, o semanário "Domingo" e a TVM já tentaram provar, em longos e gloriosos trabalhos, que a saúde florestal do país é excelente.

3 comentários:

Capitão-Mor disse...

Parabéns pelo blogue. Um abraço português vindo do Brasil.
Bom fim de semana!

Esfinge disse...

Xi que vergonha onde ninguem quer tomar medidas.A qual porta o futuro vai bater?

Anónimo disse...

Ha um grave problema na estimacao dos volumes da madeira. E impossivel que 137 toros correspondam a mais de 40 000 m3, nem que fossem toros da floresta amazonica.
Ja outra vez se falou de mais de 150 000m3 de madeira armazenada, mas houve um grande erro de estimativa de volume, pois nao chegava sequer a 200 m3.
O grave e que depois ninguem corrige o erro e da a informacao certa nos mesmos canais.