23 janeiro 2007

Rivais de Sibindy


Apresentou-se ontem publicamente uma nova organização, a Iniciativa Pró-Governação (IPG), cujo presidente (do conselho de direcção) é o Sr. Arão Ubisse (na imagem). Segundo o "Notícias" de hoje, a IPG integra "estudantes, académicos, sector privado e (estranha copulativa esta!, CS) a sociedade civil " com o objectivo de, numa vasto programa de acções, "interagir com o Governo no enriquecimento e concretização das suas estratégias de governação através de debates e ideias."
Para a OPG os parceiros são, ainda, "potenciais". Leia aqui.
Assim, o Sr. Yá-Qub Sibindy já tem rivais.
_____________________
Kanimambo Patrício Langa, por me ter chamado a atenção para a notícia.

13 comentários:

Esfinge disse...

Pois e, sempre e preciso saber desenrascar a vida.

Anónimo disse...

Sibindy deixa de ser o único concessionário da nossa mediocridade política. Já conta com Ubisse, este telintelectual, comentador assíduo dos assuntos políticos e sociais. Conhecedor da realidade moçambicana, ou melhor dos problemas moçambicanos. Por que não criar uma IPG. Empreendedorismo! IPG é mais um problema do que solução. O país não carece de IGPs nem de Shadow Government
Puro Prebendanismo.

Anónimo disse...

Mas se Ubisse e os demais "fundam" uma Iniciativa Pro-Governacão parece-me eles acharem que nós, o resto, somos de Iniciativa Anti-governacão (!?).

Quais devem ser os objectivos principais da criação da IPG já que se apontam parceiros potenciais como sendo o governo e os maiores doadores? Não será uma busca de aliança com as elites do partido no poder e encavilhar os doadores para desembolsar os dólares? Não acabaremos vendo este grupinho a usar o dinheirinho para turismo nacional e internacional ao invés de servir para os necessitados, os verdadeiros pobres? Não é mais um motivo para workshops em hoteis e os ditos membros do IPG obterem o per diem simulado?

São boas mas mal formuladas? A ver vamos.

Esfinge disse...

Manos esta e gente apenas para comer migalhas da mesa dos patroes, mais nada, patrao-governo, patrao-agencias internacionais.

Esfinge disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Prof

Talvez mais um caso interessante nesta nossa democracia?

http://allafrica.com/stories/200701230880.html

António

Anónimo disse...

Porque esses estudantes e acadêmicos não ajudam o Governo, fazendo o melhor e sendo melhores profissionais lá onde estudam ou trabalham?

Esfinge disse...

Pessoas gostam de gingar mano Vaz.Voce ja viu um bolo sem enfeite para parecer mais bolo?

Carlos Serra disse...

Mas agora é o tempo distrital...

Anónimo disse...

Espanto-me como alguem decide dar conselhos sem ser convidado.
Sera tudo isto em nome de "participacao, inclusao, sociedade civil"-chavoes da industria de desenvolvimento?

Carlos Serra disse...

Não se espante, Egídio...A nossa vida está cheia de termos mágicos que agem a modos de entorpecentes. A páginas tantas já nem falamos em seres humanos, mas justamente em termos mágicos, "estruturas", "sociedade civil", "sociedade", "conflito homem/animal", "boa governação", "inclusão", "luta contra a pobreza absoluta", etc. Quanto maior for o leque de anestesiantes, menos nós nos preocupamos com seres humanos reais. E é aqui que pode nascer, certamente já nasceu, a estética dos termos, a análise "termo-al", o nominalismo 4/4. Veja, por exemplo, o dicionário do Ubisse no meu "ditos doutos (http://ditosdoutos.blogspot.com/).

Anónimo disse...

De facto! E com tanta "anestesia" quem se espantaria com o fecalismo a ceu aberto?
Se todos estamos anestesiados! E normalissimo, nao acha? Ninguem age. Ate que a anestesia passe...

Carlos Serra disse...

É, o "chapa100" do Matine é excelente para compreendermos rapidamente muitas coisas. Abraço!