21 maio 2008

As chamas do ódio xenófobo na África do Sul









Imagens dramáticas da xenofobia na África do Sul, que me foram enviadas pela Paula Libombo.

7 comentários:

Anónimo disse...

Meu Deus os governos africanos amostram o lado mais fraco, ganhamos o poder mas, não estamos preparados para os desafios as imagens são chocantes, nós não merecemos este tratamento.
Tudo isso por falta de boas políticas públicas poucas pessoas são milhonárias e muitas nem o pão de cada dia tem.
A unica saida para os paises africanos sairem deste abismo é aceitar na sua totalidade a democracia os partidos ficam muito tempo no poder e esquecem que estão a servir o povo e ai começa a confusão.

Carlos Serra disse...

Escreverei hoje ainda um pouco sobre a xenofobia.

Anónimo disse...

E o mundial como fica?

Anónimo disse...

E muito triste ver esse tipo de coisa com os nossos compatriotas a serem maltratados desta forma no pais visinho. Afinal o que e vizinhanca, como e possivel a gente do mesmo contenete se maltratar desta maneira, se por acaso a gente fazer isso com eles tambem quando vem pra ca como e que ficaria. Alem ajudarmos uns aos outros estamos a destruir-se, para onde e que vai isso meu Deus.Alo compatriotas Mocambicanos, Governo vamos nos unir e ajudar os nossos compatriots que estao a sofrer no nosso pais vizinhos. Como fica o mundial 2010 , sera que eles vao saquear com todos os estrangeiros que forem assistir o mundial? Ninhum pais neste mundo vive sem estrangeiro, isso e impossivel. Abaixa a Xenofebia ...........

Jonathan McCharty disse...

Vamos ver se as coisas melhoram agora que o presidente mobilizou o exercito! Mas tenho ideia que esse fenomeno nao esteja a ser apenas mobilizado pelas gentes do "bairro de lata". A base e' certamente, mais alargada! E inclusive ha fotos em que os policias aparecem a sorrir ou pouco ou nada fazendo de imediato para socorrer as vitimas.......

Carlos Serra disse...

Interessante, mobilização do exército...

Rildo Rafael disse...

Em rela�o a imagem devo confessar que partilho totalmente com a ideia do Nelson, mas tamb�m ficam alguns receios quanto a actua�o da pol�cia e tamb�m da sociedade Sul-africana na conten�o da situa�o. Vamos imaginar uma situa�o diferente, em que os mo�ambicanos estivessem a queimar ou a matar e destruir casas dos Sul-africanos? Que express�o facial poder�amos ter dos policiais ou ainda que comportamento teriam a sociedade sul-africana? H� um detalhe do Jonathan que me parece interessante de rever na imagem. O professor Carlos Serra junta umas imagens interessantes sobre a situa�o no seu blog. De seguida um breve coment�rio da situa�o.

O mundial de futebol de 2010 para al�m de ser� uma futura festa do futebol precipitou uma situa�o diferente de deporta�o dos estrangeiros ilegais do territ�rio Sul-africano (antes de avan�ar, queria fazer alus�o a uma situa�o que se aproxima a esta, como foi o caso da cimeira da Uni�o Africana que proporcionou a constru�o de murros de veda�o para impedir que casas e palhotas pr�ximas do aeroporto internacional n�o estivessem vis�veis durante a sua realiza�o.

O paralelismo que se tenta estabelecer entre esta simplesmente ligado ao evento e suas respectivas consequ�ncias. Ora vejamos, se por um lado conseguimos antes da cimeira da U.A e da atribui�o da organiza�o da copa do mundo, conviver com casas e pessoas pobres desses bairros n�o seria menos verdade que o governo Sul-africano tentava fazer a gest�o os estrangeiros ilegais! Referi num dos meus coment�rios sobre este assunto, que a percep�o e o discurso que est�o em volta dos estrangeiros e o problema da deporta�o, associados comportamento e formas de actua�o da policia Sul-africana podem estar bem vis�veis aos demais e, isto pode at� certo ponto oferecer alicerces para a dissemina�o da viol�ncia sobre os estrangeiros.

Os actos xen�fobos manifestados em viol�ncia praticada contra pessoas estrangeiras podem constituir uma grande machadada para a (des) integra�o regional e tamb�m um elemento para uma reflex�o seria e aturada sobre os modelos de integra�o a seguir. Esperemos que isso aconte�a e que tamb�m incluam nessas reflex�es pessoas que realmente vivem ou viver�o a integra�o, ou seja, aqueles indiv�duos an�nimos desde o cidad�o mais pacato at� aqueles que assinam os acordos, para n�o cairmos numa �integra�o autom�tica�. Ser� que a viol�ncia praticada pode constituir uma resposta a (des) integra�o regional e se for realmente o que esta acontecer que repercuss�o isso poder� ter no futuro? (Isso ajudaria-nos a compreender que n�o estamos a integrar chefes de Estado amigos ou pa�ses que a priori s�o vizinhos! Mas tamb�m pessoas!).

A posi�o que a Africa do Sul ocupa no panorama econ�mico africano � um elemento a ter em conta na compreens�o deste problema, da� que, deve-se tomar cautelas quando falamos da integra�o regional olhando apenas para oportunidades econ�micas e sem antes ter em conta receios e anseios dos cidad�os dos pa�ses abrangidos. Nesse dias tem ganhado relevo a ideia do regresso pelo menos dos mo�ambicanos, devemos tamb�m nesse aspecto ter em conta os problemas que isso pode acarretar no futuro sen�o compreendermos o real problema, pois seria interessante compreender qual � a percep�o que os Sul-africanos que cometem a viol�ncia tem ou ter�o no futuro em torno do regresso �p�s-actos de viol�ncia� dos estrangeiros, e que li�es aprenderam eles com isto. Com o regresso dos estrangeiros n�o estariam a legitimar ac�es do g�nero no futuro?

At� agora pelo menos o que se t�m dito ou ouvido � a posi�o dos que cometem a viol�ncia, estes segundo o que lemos alegam que os estrangeiros roubam-lhes tudo e que tamb�m s�o os respons�veis pelos males que acontecem, quanto a isso ocorre-me muitas d�vidas. Quanto a mim seria interessante captar a percep�o dos estrangeiros violentados sobre o que motiva os Sul-africanos, claro n�o todos a cometer a viol�ncia. Em rela�o a viol�ncia cometida temos que ter em conta que ela ira proporcionar para al�m da dor, efeitos psicol�gicos, custos financeiros, perdas humanas, etc., uma serie de traumas e provavelmente ter�o impacto na (des) integra�o regional.

O discurso das autoridades governamentais mo�ambicanas tem sido focalizado em torno do regresso dos nacionais, pelo menos at� ontem, onde avan�avam simplesmente para quest�es log�sticas. Uma pergunta importante que se pode fazer � a seguinte: O que � que o regresso dos mo�ambicanos ao territ�rio nacional compete como responsabilidade das lideran�as nacionais? Ou melhor, que acompanhamento os nacionais necessitam para al�m das viaturas que os transportar�o a Mo�ambique?

Prometo elaborar sobre xenofobia e viol�ncia nos pr�ximos textos
Abra�os
Rildo Rafael