18 abril 2007

Ó Sr. Milaco, que bizarro o senhor é!


Em grande destaque, o semanário "Meianoite" desta semana publica o trabalho que aqui reproduzo parcialmente.
Primeiro do que tudo, é claro que, nesse trabalho, não é o partido Renamo que aparece a atacar a "classe académica moçambicana", mas o deputado Armindo Milaco, da Renamo, mesmo se este partido endosse as ideias milacoanas.
Em segundo lugar, é manifestamente bizarro sustentar que as universidades moçambicanas formam "apenas jovens obedientes e não necessariamente com conhecimentos de mudança, com conhecimentos comprovados para impulsionar o desenvolvimento do país" (cito o jornal). O que eventualmente pode ser verdadeiro é a possibilidade de as universidades moçambicanas formarem jovens desobedientes e necessariamente com suficientes conhecimentos de mudança, com conhecimentos comprovados para impulsionar o desenvolvimento do país contrários às ideias políticas do Sr. Milaco.
A bizarria de Milaco está em três sítios: primeiro não é claro o eixo do seu ataque: segundo, é manifesto o grau de generalização; terceiro, é politicamente imprudente atacar uma "classe" quando dela se carece.
Depois, Sr. Milaco, não se surpreenda se o seu partido não conseguir recrutar académicos ou, até, que perca alguns dos que tem.

7 comentários:

Unknown disse...

Com música ... ?

Sente-se um ambiente de festa !

Mais uma vez, PARABÉNS !!!!!

Anónimo disse...

Eu até era capaz de dizer que o melhor era esquecer-se do Milaco, mas considero este ataque um convite à classe académica para um debate e não um contra-ataque, claro. Penso que Milaco veio a mando de Afonso Dhlakama. O quê Milaco e Dhlakama sabe dos académicos? Se eles soubessem não teriam sabido gerir os que aderiram à Renamo: Alone, Quelhas, Jafar, Lutero, Pequenino, falecido Pilale, entre outros?

Anónimo disse...

Eu até era capaz de dizer que o melhor era esquecer-se do Milaco, mas considero este ataque seja um convite à classe académica para um debate e não um contra-ataque, claro pq os académicos têm cultura. Penso que Milaco veio a mando de Afonso Dhlakama. O quê Milaco e Dhlakama sabem dos académicos? Se eles soubessem não teriam sabido gerir os que aderiram à Renamo: Alone, Quelhas, Jafar, Lutero, Pequenino, falecido Pilale, entre outros?

Carlos Serra disse...

De qualquer das formas, é estranho o ataque de Milaco.

Carlos Serra disse...

Obrigado, Isabel.

ninozaza disse...

Professor, não concordo com tudo que o Milaco disse, mas por vezes penso que os académicos podiam ser um pouco mais activos. Minha opinião.....

Carlos Serra disse...

A bizarria de Milaco está em três sítios: primeiro não é claro o eixo do seu ataque: segundo, é manifesto o grau de generalização; terceiro, é politicamente imprudente atacar uma "classe" quando dela se carece.