O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

03 abril 2007

Pergunta: por que só agora?


“Se não o fizemos antes foi porque não existiam condições para o efeito, mas neste momento elas já foram criadas. Estamos em processo de destruição de todos os artefactos de guerra obsoletos em todo o país” - afirmou Joaquim Mataruca, porta-voz do Ministério da Defesa Nacional, a propósito do processo, ontem iniciado, de destruição de cerca de 400 toneladas de artefactos de guerra obsoletos.
Essa a manchete de hoje do "Notícias", a seis colunas na primeira página, sem que no jornal surja qualquer editorial a fazer uma pergunta simples: que condições foram as referidas por Mataruca capazes de impedir que o material fosse destruído antes da tragédia de Malhazine, tantos anos após os términos da guerras colonial e civil?

2 Comments:

Anonymous antonio aljofre said...

...Mataruca diz mais (RDP Africa) que iam comecar a mudar os paios (Maputo, Beira, Nampula) para um lugar certo. Implicitamente, assume-se que quase todos os paios encontram-se localizados em lugar errado! Mocambicano tem um defeito...so trabalha sob pressao. Quando nao ha pressao significa festa e lazer. O que anda fazendo o Ministerio da Defesa durante todo esse tempo? parece que agora ja tem bue de trabalho, pudera!!!

3/4/07 5:14 da tarde  
Blogger isabel victor said...

Manuel Alegre na mensagem para o Dia Mundial da Poesia na Sociedade Portuguesa de Autores, SPA, disse:


«Sobre os rios da Babilónia - diz a abrir a mensagem, hoje divulgada pela SPA - caíram bombas. Caíram sobre os lugares onde um poeta desconhecido gravou numa pedra a epopeia de Gilgamesh, o primeiro canto em que se fizeram as grandes perguntas sobre o destino do homem».

Fora do Iraque, a antiga Mesopotâmia, a guerra, o genocídio, a fome e a injustiça flagelam muitos outros países, o que leva o poeta a perguntar «que sentido pode ter um Dia Mundial da Poesia num mundo em que todos os dias a poesia é assassinada».

São muitos, recorda, «os défices que avassalam o mundo» e o «défice da poesia» é, talvez, «aquele de que menos se fala».

SOcioBloger ABRAÇO

isabel

3/4/07 10:22 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home