16 novembro 2006

"Médico tradicional" que cura tudo incluindo o bicho


A cidade povoa-se cada vez mais de "médicos tradicionais" que tudo curam. De médicos e de tabuletas. O mercado da credulidade é imenso. Consultem aqui este senhor, dito da Tanzânia: Avenida de Angola, junto ao n.º 385.
___________________________
À Fátima um forte abraço por me ter enviado a foto e um texto maravilhoso.

7 comentários:

Fátima Ribeiro disse...

É característica recente da nossa capital a proliferação de placas deste género assinalando consultórios de curandeiros e feiticeiros vindos da periferia, do interior do país e do estrangeiro. Sorrateiramente, as placas aparecem e, sejam quais forem os seus escritos, lá vão ficando, ficando, quem sabe até conquistar o direito de usucapião. Tudo me leva a crer que esses consultórios da chamada medicina tradicional não são vistoriados nem sujeitos a licenças que garantam um mínimo de respeito pela vida e pela saúde pública. Não estará o Estado, com essa, deduzo, política de 'laisser faire' para com o informal e promoção tácita do tradicional, sem as devidas reservas, a ter a sua quota-parte de responsabilidade na proliferação, entre outros, do HIV?

Anónimo disse...

Seria interessante tambem ver o padrao nas doencas e males que eles dizem curar. Curioso que se possa tratar de recuperar bens roubados atraves do medico tradicional e nao da policia.

Carlos Serra disse...

Sim...Nesta diário há várias entradas sobre a banha da cobra.

Wetela disse...

Um pouco de publicidade "gratuita" para aliciar os clientes faz parte do negócio...não sei, provavelmente o "dr" em causa use as suas artes mágicas para realizar todos os desejos dos seus clientes ávidos de ver seus problemas resolvidos. Todos dizem que tem como abrir os portões do céu, basta que para isso se pague um determinado valor...

Carlos Serra disse...

O mercado esta excelente...

Wetela disse...

...é a guerra santa onde cada um faz o que faz em nome de Deus e da salvação. E assim vivem os salvadores profissionais,vendendo ilusões...diria em palavras mais simples, a arte do bom ladrão...

Carlos Serra disse...

A banha da cobra, Wetela...