O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

28 janeiro 2012

Presidencial no Senegal: Youssou excluído, protestos em Dacar

Partidos políticos da oposição e movimentos civis contestando a candidatura do presidente Abdoulaye Wade à presidencial do próximo mês no Senegal pediram aos Senegaleses que marchassem para o palácio presidencial e desalojassem Wade, depois que o Conselho Constitucional validou a sua candidatura mas recusou a de Youssou Ndour. Aqui e aqui. Recorde uma postagem minha do dia 3 do corrente neste diário aqui.
Adenda às 17:52: confira um trabalho no GuinGuinBali, aqui.

2 Comments:

Blogger TaCuba said...

Sr Wade, o pretendente a eterno...

28/1/12 2:36 da tarde  
Anonymous ricardo said...

Não me parece que a lei eleitoral tenha sido violada. Há um problema de validação das assinaturas por parte da candidatura de Ndour, logo o que ele deveria fazer (e fê-lo) era recorrer da decisão exibindo provas de que a mesma foi errada. Por isso, estas manifestações não fazem sentido e sujam a sua imagem conciliadora. Mas eu já havia dito que Ndour (tal como Weah na Libéria o foi) não passava de um golpe de marketing político muito mal ensaiado.

Quanto ao sr. Wade, a coisa já é diferente. Usando o savoir-faire angolano, conseguiu alterar a constituição para permitir a eleição em três mandatos. Isto não é novo no anel da francofonia. Quando o sipaio é bom, o patronato muda as regras a seu bel-prazer. Lembro-me em particular do antigo presidente do Benin, que gostava de ser tratado como "patrão". Ou de Omar Bongo, no Gabão. Fala-se tanto da sucessão dinástica na Coreia do Norte por estes dias, que ninguém se lembrou que muito antes haviam mini-coreias do norte espalhadas pelo continente negro. Olha o Benin. Olha o Gabão. Olha o Togo. Olha a Guiné-Equatorial. Olha o que se deseja em Angola. E o que se desejava na Líbia...Egipto...enfim.

E se povo não concordar com isto, então que se mude o povo para outras paragens!...

28/1/12 3:32 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home