O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts
<div style="background-color: none transparent;"><a href="http://www.rsspump.com/?web_widget/rss_ticker/news_widget" title="News Widget">News Widget</a></div>

05 agosto 2015

O que provocou a tragédia de Chitima?

Continua sem haver qualquer posição oficial sobre a (s) (causa (s) das mortes de dezenas de pessoas ocorridas em Janeiro deste ano em Chitima, distrito de Cabora Bassa, província de Tete, tragédia que levou o Estado a decretar luto nacional de três dias, mas tragédia, também, que levou à crença e ao boato de que as mortes foram provocadas pelo consumo de bílis de crocodilo (no academia.edu aqui e neste diário aqui).

1 Comments:

Blogger nachingweya said...

A nossa capacidade de lidar com tragédias é extraordinária. No dia em que morriam tantas pessoas em Chitima tomava posse o quarto presidente da república e nestas ocasiões há também festa esteja a morrer quem estiver, é do protocolo do Estado, explicam os entendidos. E houve banquete... Banquete de Estado! Seguido de três dias de luto. Mas para mim e para outros povos é questão de atitude, dignidade e sensibilidade. Que, teimo em afirmar, seria outra a atitude se as mortes de Chitima tivessem ocorrido depois do consumo de mal coado aqui nas barracas do Museu.
Agora mesmo que lamento esta tragédia que ficou solteira com muitos órfãos, há relatos de confrontos militares nas terras (não matas, por favor) de Chiandame em Tete e cadáveres abandonados a alimentarem precocemente o sacrossanto húmus do solo pátrio.
De tragédia sabemos nós e não são tragédias que noa apressam o passo para a prevenção das coisas ou a sua remediação.

5/8/15 8:22 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home