O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2016 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts
<div style="background-color: none transparent;"><a href="http://www.rsspump.com/?web_widget/rss_ticker/news_widget" title="News Widget">News Widget</a></div>

16 setembro 2016

Que diferenças devemos realmente respeitar?

Há pessoas que gostam de colocar o acento não nas clivagens sociais verticais (que dizem terem passado de moda), mas nas diferenças horizontais. Tenha-se em conta o apego ao multiculturalismo, às especificidades nacionais, culturais, filosóficas e, até, raciais. Fazer porte público de respeito pelas diferenças confere respeitabilidade progressista. Se estiverem atentos à internet, encontrarão milhares de mensagens de respeito pelas diferenças. Mas as coisas são, afinal, bem mais complicadas do que pensamos. Por exemplo, como escreveu há muitos anos Simone de Beauvoir, ao esquema "simplista" de Marx, que opunha exploradores a explorados, "se substitui um desenho tão complexo que os opressores entre si diferem tanto quanto diferem dos oprimidos, a tal ponto que esta última distinção perde a sua importância". Mas se quisermos optar pelas diferenças gerais (respeitemos as diferenças!, pedem os defensores da horizontalidade), seremos ainda confrontados com problemas graves. Por exemplo, não são diferentes os criminosos e as vítimas? Não são diferentes os torcionários e as vítimas? Então, que diferenças devemos realmente respeitar? Por outras palavras, para adaptar as palavras de George Orwell: todos somos diferentes, mas há diferentes mais diferentes do que outros.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home