O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts
<div style="background-color: none transparent;"><a href="http://www.rsspump.com/?web_widget/rss_ticker/news_widget" title="News Widget">News Widget</a></div>

30 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 4 do "Savana" de 27/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (11); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Documento

Aqui. Obrigado ao AT pelo envio do documento.

662ª foto (Uma rola às 18 horas)

"Diário de um fotógrafo", aqui

Questionários

Os quatro questionários deste diário estão, já, encerrados. Dois deles (Desempenho governamental 2011 e Preferências nos jornais moçambicanos "online") ficarão mais algum tempo no lado direito deste espaço, conferíveis a todo o momento aqui e aqui. Os outros dois, de formato diferente e não conferíveis a todo o momento (Sucessor de Armando Guebuza e, em pop-upSobre o Município de Maputo), tiveram os resultados que se seguem:
Brevemente surgirão outros questionários. Para ampliar as imagens, clique sobre elas com o lado esquerdo do rato.

Ditos (43)

Quadragésimo terceiro dito.
O que é impressionante não é que haja gente capaz de criar modas sem cessar, mas que haja gente sem cessar que adira a essa criatividade. Afinal, o que é impressionante não é que pensemos, mas que sejamos pensados.
(continua)

Mudanças climáticas

Se quiser ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato. E permitam-me sugerir a leitura do livro com a capa logo abaixo:

Candidato

Remediado, desejando fortemente ascender à classe alta, comprou um carro importado do Japão, reciclado, enorme e cheio de espavento.

Dossier (3) (Edição de 27/04/2012)

Queira conferir a terceira parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 27/04/2012, aqui.
(continua)

29 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 3 do "Savana" de 27/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (11); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (43); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Desemprego afectivo

Há muitas crianças de mão estendida nos cruzamentos e nas ruas da cidade de Maputo. Como há muitos adultos fazendo o mesmo. Como há muitas jovens prostituindo-se. E deficientes mentais. O que significa isso? Por hipótese significa que há uma fractura familiar generalizada e sempre progredindo, que as famílias têm crescentes dificuldades de sobrevivência. Essa fractura tem a ver com uma fractura social global decorrente do modo de produção da vida que temos. Decorrente dessa fractura surge o que chamarei desemprego afectivo. O que significa isso? Significa que muitas pessoas perderam o lugar e a segurança no amor, no respeito e na disponibilidade para compreensão e ajuda. Sem dúvida que é sensato pensar-se em campanhas de sensibilização tendentes a reverter semelhante estado de coisas. Mas enquanto não houver uma reflexão profunda sobre o nosso modo de produção de vida, essas campanhas terão, apenas, o efeito precário das aspirinas. Finalmente: recorde aqui.

Quinta-feira

Para ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

Esquecidos

Em várias ruas da cidade de Maputo ramos e troncos decorrentes da poda levada a cabo pelo Conselho Municipal estão há semanas esquecidos nos passeios. Recorde aqui.

Dossier (2) (Edição de 27/04/2012)

Queira conferir a segunda parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 27/04/2012, aqui.
(continua)

28 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 2 do "Savana" de 27/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (11); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (43); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Ditos (42)

Quadragésimo segundo dito.
Naturalmente que é sensato supor que todos sabemos que carnívoros comem herbívoros. Contudo, o meu problema não é zoológico mas social: somos todos conscientes de que carnívoros sociais têm por norma comer herbívoros não menos sociais?
(continua)

Leia

Aqui. Obrigado ao AT pelo envio deste texto inserto ontem no jornal português Público.

Prismas políticos

Permito-me regressar à eleição autárquica de Inhambane. Vejamos como o "Notícias" situou a vitória do candidato da Frelimo, aqui e aqui; leiamos agora o que o "Savana" com data de ontem escreveu sobre o fenómeno, em editorial, aqui; finalmente, leiamos o que o "Canal de Moçambique" de ontem escreveu, aqui.

Dossier (1) (Edição de 27/04/2012)

Queira conferir a primeira parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 27/04/2012, aqui.
(continua)

27 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 1 do "Savana" de 27/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (11); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (42); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

"Savana" de 27/04/2012

Dossier a iniciar amanhã, "À Hora do fecho" a sair no domingo.

Um outro diário

"Diário de um fotógrafo", aqui

Hábitos e fixismos (7)

Sétimo número da série. Falei-vos no número anterior do nosso Museu de História Natural. Permitam-me agora falar-vos de sapatos, sapatos prosaicos, a partir da adaptação de uma ideia de Georges Politzer. Sapatos? Sim, sapatos. Um dia compramos sapatos, digamos que sapatos castanhos. Todos os dias os calçamos. Ao fim de algum tempo perguntamo-nos: são os mesmos sapatos que comprei há tempos? A resposta formal da nossa alma é: sim, são os mesmos, são absolutamente os mesmos, mesmo formato, mesma cor, mesmo tudo. Porém, se os sapatos são formalmente os mesmos, são dialecticamente outros: formalmente são os mesmos, dialecticamente são outros, são mais velhos, foram sucessivamente engraxados, as solas são outras, etc. No dia-a-dia, o nosso pensamento é do tipo dos sapatos-sempre-os-mesmos. Prossigo mais tarde.
(continua)

Novembro

Introdução, temas e forma de participação a conferir aqui. Para a primeira conferência, recorde neste diário aqui.

Um livro

Primeiro capítulo aqui.

Radiografia de um golpe de Estado

Sobre a Guiné-Bissau, uma série da autoria de José Naranjo com o primeiro número aqui.

Dossier (7) (Edição de 20/04/2012)

Queira conferir a sétima e última parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 20/04/2012, aqui.
(fim)

26 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 7 do "Savana" de 20/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (11); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (42); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Um tema

Bertina Lopes

Trabalhos sobre a falecida pintora moçambicana Bertina Lopes, aqui.

No prelo

Dossier (6) (Edição de 20/04/2012)

Queira conferir a sexta e penúltima parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 20/04/2012, aqui.
(continua)

Edição de hoje

25 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 6 do "Savana" de 20/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (11); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (42); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Autárquica de Inhambane e prismas

É sempre interessante ter em conta os prismas pelos quais descrevemos ou analisamos um determinado fenómeno. Sobre a eleição autárquica recentemente realizada em Inhambane, leia, por exemplo, os relatos das edições digitais de hoje do "Notícias" (mais a veemente tirada do Sr. Miguel Mabote), aqui; do "O País", aqui; finalmente, do "Canal de Moçambique", aqui.
Observação: nos mais variados quadrantes os eleitores (jovens é um outro termo muito usado) surgem como uma categoria amorfa, neutra, sem lastro social concreto. Tenho para mim que teremos de começar, de forma sistemática, a pesquisar esse lastro, a procurar compreender e analisar as direcções votais nas nossas eleições tendo em conta variáveis como classes sociais, profissões, salários, sexo, idade, etc.

661

661 trabalhos no "Diário de um fotógrafo", aqui

Portal de Colin Darch

MHN Link
O badge acima, sinalizando o portal do historiador e documentalista Colin Darch, encontra-se agora situado de forma permanente no lado direito deste diário, por cima do mural de recados.

Patrão é patrão: síndrome do aguilhão (11)

Último número da série, sempre trabalhando com hipóteses.
O objectivo nesta curta série foi o de mostrar que há uma história preenchendo a epistemologia do patronato divinizado (recorde-se a canção Patrão é patrão), que essa história radica no colonialismo.
Há um livro de Elias Canetti intitulado "Massa e poder" com a seguinte passagem: "Toda a ordem é composta de um impulso e de um aguilhão. O impulso constrange quem a recebe a executá-la em conformidade. O aguilhão resta no fundo daquele que executa a ordem. Quando as ordens funcionam normalmente, como se espera que assim seja, o aguilhão resta invisível [ ...]." Talvez  a dialéctica ideia contida nessa passagem possa ser útil para reflectirmos sobre vários temas, aí compreendido o desta série. Imagem reproduzida com a devida vénia daqui.
(fim)

Os dois lados dos "chapas" (9)

O nono e último número da sérieNum dos números desta série escrevi que os chapas são como Jano, o deus romano de duas cabeças, são ao mesmo tempo um imperativo de fiscalização diária e um mecanismo de dupla acumulação. Espero ter deixado hipóteses possíveis de ser analiticamente aproveitadas.
(fim)

Modos de navegação social (14)

Décimo quarto número da série.
Prossigo a galeria de perfis sociais com uma nova categoria, a dos frequentadores de casamentos e cerimónias fúnebres. Naturalmente que não vou criar uma hipótese sobre as muitas e os muitos que que vão aos casamentos e às cerimónias fúnebres para genuinamente partilhar alegria ou tristeza. Vou falar dos outros.
Com a vossa permissão, prossigo mais tarde.
                                                              (continua)

O lançamento internacional do yuan

"Em sintonia com a paciência e a perseverança da forma tradicional da filosofia chinesa, o yuan ou renminbi converter-se-á nos próximos anos em moeda de reserva internacional." Aqui.

Minerais e negócios em Moçambique

Adenda às 7:58: a Shell PIc deverá comprar a Cove Energy que actua em Moçambique. Aqui.

Dossier (5) (Edição de 20/04/2012)

Queira conferir a quinta parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 20/04/2012, aqui.
(continua)

24 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 5 do "Savana" de 20/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (11); Patrão é patrão: síndrome do aguilhão (11); Modos de navegação social (14); Alteridade e subversão (5); Os dois lados dos "chapas" (9); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (42); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Sugestão

"Diário de um fotógrafo", aqui

A vida é muito complicada

Há muitos anos atrás o humorista Mário Mabjaia terminava um vídeo cómico com esta frase: "A vida é muito complicada". Parece ter razão. O recente encontro entre Guebuza e Dhlakama tem dois prismas. Leia o de Guebuza segundo o "Portal do Governo", aqui; leia o de Dhlakama segundo o "Canal de Moçambique", aqui.

Dois fenómenos

O geral do noticiário nacional e internacional e da análise salienta a vitória do candidato socialista na primeira volta da presidencial francesa. Menos salientado é o crescimento espectacular da extrema-direita.
Entre nós, o noticiário e a análise tomam em conta a vitória do candidato da Frelimo na intercalar autárquica de Inhambane. Menos salientado é o que "Diário de Moçambique" chamou "forte aparato policial nas mesas de voto".
Dois fenómenos preocupantes ainda que diferentes.

Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (10)

O décimo número da sériede acordo com o sumário proposto aqui.
3. No vasto mundo sem recibo. Herdeiros de toda uma antiquíssima tradição do convence/vende, os vendedores ambulantes - os guerrilheiros do informal, como os designo - não jogam cartas no seu mundo, mas no mundo dos outros, lutam no campo dos outros, definidos por eles. Sem um “próprio”, só podem jogar nas malhas e nos interstícios das regras dos actores do outro mundo. O seu horizonte é o dia-a-dia, o seu território é o da astúcia, do entre-dois dos sobreviventes, dos golpes rápidos, da vertigem dos momentos, dos cálculos de circunstância, do vende e revende. Como diria Michel de Certeau, o que aí se ganha não se guarda.
Adenda: sugiro recordem neste diário alguns trabalhos de 2007/2010 aqui. Para este ano, confira a versão digital de um jornal editado em Maputo aqui. Foto reproduzida com a devida vénia daqui.
Adenda às 9:20: Na cidade da Beira: "Vende-se um pouco de tudo, pois, para além de roupa, sapatos, tomate e batatas, como anteriormente o cidadão beirense estava acostumado a ver, hoje o negócio é extensivo à comercialização de amendoim pilado, cozido e torrado, mandioca, feijões e maçaroca." Aqui.
(continua)

Dossier (4) (Edição de 20/04/2012)

Queira conferir a quarta parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 20/04/2012, aqui.
(continua)

23 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 4 do "Savana" de 20/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (7); O casamento das famílias (10); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (10); Patrão é patrão: síndrome do aguilhão (11); Modos de navegação social (14); Alteridade e subversão (5); Os dois lados dos "chapas" (9); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (42); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

661ª foto (Jovens vendedoras de comida)

"Diário de um fotógrafo", aqui

Hábitos e fixismos (6)

Continuidade da série. Deixemos Simmel e entremos num outro fixismo de peso, referente à mentalidade essencialista. O embelezamento e a imutabilidade dos fenómenos e das tradições constituem dois eixos fundamentais da mentalidade essencialista, aquela que liquefaz o social no natural. Se, há alguns anos, fôssemos ao Museu de História Natural, cidade de Maputo, veríamos - empalhados - elefantes, antílopes e cobras (por exemplo) no rés-do-chão. Subindo as escadas, chegaríamos a uma secção etnográfica com máscaras e adereços diversos da nossa cultura. A ideia parecia ser a de que ninguém estranharia que tubarões, gazelas e máscaras da dança Mapiko estivessem ao mesmo nível irredutível do natural no naturalmente Museu de História Natural.
Pergunta: alguém sabe dizer-me se a situação é hoje diferente no museu?
(continua)

O casamento das famílias (9)

Nono número da série, mantendo-me no segundo número do sumário que vos propus aqui e sempre trabalhando com hipóteses:
2. Diferentes tipos de casamentos. Escrevi no número anterior que um estudo dos cortejos nupciais chegados à Avenida Friedrich Engels - lá onde se localiza o muito frequentado Jardim dos Namorados, cidade de Maputo - , mostra existirem pelo menos três tipos de casamentos. Permito-me designá-los da seguinte forma: casamentos classe alta, casamentos classe média e casamentos classe baixa. Passo ao casamento classe alta, o menos frequente e o menos povoado. Neste tipo de casamento o cortejo não inclui chapas e nem sempre há coros/dançarinos. Os membros do ritual são em pequeno número. As viaturas, em pequeno número, são de luxo e regra geral último modelo. A sobriedade parece ser a regra. No próximo número falar-vos-ei dos trajes. A foto em epígrafe é minha e encontra-se aqui.
(continua)

Dossier (3) (Edição de 20/04/2012)

Queira conferir a terceira parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 20/04/2012, aqui.
(continua)

22 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 3 do "Savana" de 20/04/2012
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (6); O casamento das famílias (9); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (10); Patrão é patrão: síndrome do aguilhão (11); Modos de navegação social (14); Alteridade e subversão (5); Os dois lados dos "chapas" (9); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (42); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Urgência encasacada

À hora do fecho"/"Savana"/20-04-2012

Na última página do semanário "Savana" existe sempre uma coluna de saudável ironia que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Deliciem-se com "A hora do fecho" desta semana, da qual ofereço, desde já, um aperitivo:
* (...) Depois das complicações com os estudantes na Argélia, os tais agitados da sociedade civil vêm questionar as “pranchas do titio Zeferino”, um desenrascanço do ministério para ajudar os putos que sentam no chão sem carteira...

Dossier (2) (Edição de 20/04/2012)

Queira conferir a segunda parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 20/04/2012, aqui.
(continua)

A conferir

21 abril 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Diversos; Dossier 2 do "Savana" de 20/04/2012; "À hora do fecho"
Séries pessoais: Hábitos e fixismos (6); O casamento das famílias (9); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (10); Patrão é patrão: síndrome do aguilhão (11); Modos de navegação social (14); Alteridade e subversão (5); Os dois lados dos "chapas" (9); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (22); Ditos (42); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (91)

Sugestão

"Diário de um fotógrafo", aqui