O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2018 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

31 maio 2012

Sobre uma mensagem

Face a uma mensagem que se diz circular como sms nos celulares, dando conta de uma greve a realizar-se amanhã para protestar contra situações como a destruição de barracas e a subida dos preços de produtos de primeira necessidade, a Rádio Moçambique dedicou cerca de dez minutos no jornal da noite das 19:30 a dar conta dos depoimentos de representantes do município de Maputo afirmando que (1) é falso o conteúdo da mensagem e (2) a ordem pública não será alterada.
Adenda às 5:54 de 01/06/2012: trabalhos alusivos no "Notícias", no "O País" e no portal da "Rádio Moçambique", respectivamente aqui, aqui e aqui.
Adenda 2 às 7:23: hoje é Dia Internacional da Criança, respeitemo-la.
Adenda 3 às 9:26: "Canal de Moçambique" aqui.

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 7 do "Savana" de 25/05/2012
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (7); A difícil fórmula da distribuição de consensos (6); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (15); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

Sugestão

Amplie a imagem clicando sobre ela com o lado esquerdo do rato

A difícil fórmula da distribuição de consensos (5)

O quinto número da série, baseada neste trabalho de "O País" aqui. Prossigo no primeiro ponto do sumário que vos propus aqui.
1. História da ciência, cientistas sociais e algumas ambições. A pretensão ao conhecimento social absoluto por parte de algumas correntes das chamadas ciências sociais, ao ritmo da busca de leis, recebeu da matemática um auxílio poderoso: a estatística. Acreditou-se e acredita-se que os números podem exprimir o comportamento social, eliminando o aleatório e o acaso; acreditou-se e acredita-se que os fenómenos podem ser não apenas objectivamente analisados quanto estatisticamente previstos.
Se não se importam, prossigo mais tarde.
(continua)

A hipótese do duplo poder (6)

O sexto número da série, baseada num trabalho do jornal "O País", versão digital, conferível aqui. Inicio o ponto 2 do sumário proposto aqui.
2. A especificidade moçambicana. O nosso país pode vir a ter um duplo poder, mas de génese e configuração distintas daquelas que pretencem à distante Rússia de 1917. Esse duplo poder pode vir a traduzir-se numa presidência estatal absolutamente determinada pela presidência partidária. Por quê e como? Se não se importam, prossigo mais tarde.
(continua)

China: movimento operário e negociação colectiva

Um trabalho a conferir aqui.

Dossier (6) (Edição de 25/05/2012)

Queira conferir a sexta e penúltima parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 25/05/2012, aqui.
(continua)

30 maio 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 6 do "Savana" de 25/05/2012
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (6); A difícil fórmula da distribuição de consensos (5); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (15); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

Indumentária africana

Na janela do fórum (lado direito deste diário, por cima dos questionários), a leitora Cláudia Cardoso sugeriu um debate sobre indumentária africana.

Uma outra janela

"Diário de um fotógrafo", aqui

Meca do safari e do mergulho

Herdámos, alguns de nós, a convicção colonial de que os Africanos não têm história, de que são mera modalidade de natureza, exercício de tradições imutáveis.
Quanto mais o grande Capital internacional explorar as nossas riquezas e nós nos empenharmos no fomento do turismo, mais robusta será a associação naturalizada entre pessoas, bichos e natureza.
Percurso que operará na glorificação folclórica das tradições, tidas por eternas, perversamente evacuadas de tudo o que é história, mutação e futuro.
Percurso que terá ainda pé sólido na glorificação da fauna, do mundo fabuloso dos animais, dos leões, dos peixes, dos hipopótamos, etc.
Receio que o nosso destino seja o de um lugar elitário, um céu na terra, um “bush and beach” paradisíaco, uma “meca do safari e do mergulho” como, por exemplo, escrevia o Washington Post em 2008.

Ditos (44)

Quadragésimo quarto dito.
É certamente uma banalidade sustentar que passamos uma parte significativa da vida a disputar verdades, não importa quando, onde e como. E é uma tragédia quando se tem de fazer face aos defensores intransigentes e armados de verdades verdadeiras.
(continua)

Despesa pública 2011

O Centro de Integridade Pública prossegue a divulgação de relatórios sobre a despesa pública no país em 2011. Desta feita sobre o Chókuè, aqui.

Maternidade e cárcere

Maternidade e cárcere: um olhar sobre o drama de se tornar mãe na prisão - confira aqui.

Facebook, o grande predador

Com o título em epígrafe, um trabalho na Página/12, aqui. Confira também aqui.

Dossier (5) (Edição de 25/05/2012)

Queira conferir a quinta parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 25/05/2012, aqui.
(continua)

29 maio 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 5 do "Savana" de 25/05/2012
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (6); A difícil fórmula da distribuição de consensos (5); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (15); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

Segundo "Wamphula fax" de hoje

Entretanto, sugiro leia a obra com a capa abaixo:

670ª foto (Dia de festa)

"Diário de um fotógrafo", aqui

Convite

Para ampliar a imagem clique sobre ela com o lado esquerdo do rato

Sérgio Tique com o "Otheya" na TVM/2

O designer e cartunista Sérgio Tique (na imagem) tem agora no canal 2 da TVM um programa humorístico chamado Otheya (=rir), sábado às 20 horas, com repetição às 18 de segunda-feira e 22 de quinta. Confira o programa aqui e recorde Sérgio neste blogue aqui.

Dossier (4) (Edição de 25/05/2012)

Queira conferir a quarta parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 25/05/2012, aqui.
(continua)

28 maio 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 4 do "Savana" de 25/05/2012
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (6); A difícil fórmula da distribuição de consensos (5); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (15); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

Uma sugestão

"Diário de um fotógrafo", aqui

A difícil fórmula da distribuição de consensos (4)

O quarto número da série, baseada neste trabalho de "O País" aqui. Prossigo no primeiro ponto do sumário que vos propus aqui.
1. História da ciência, cientistas sociais e algumas ambições. Escrevi no número anterior que os saberes científicos rompem com os dogmas divinos, com as deduções de premissas havidas por eternas, com as intuições tornadas verdades. A dúvida metódica, a pesquisa, a busca de leis e a validação empírica tornaram-se os quatro eixos de um percurso de busca da verdade objectiva, agora estrangeiro ao legado divino e às deduções filosóficas. Esses quatro eixos - especialmente evidentes nas ciências duras do tipo física, do tipo das ciências naturais experimentais - inseriam-se (e inserem-se) na necessidade sentida pelas elites dirigentes dos Estados modernos de possuir um conhecimento sistemático e real do mundo social e natural que pudesse tornar mais rigorosas as suas decisões. Acontece que cientistas de várias áreas das ciências sociais entenderam que poderiam ser tão rigorosos quanto os colegas da física, da química ou da biologia. Não foi por acaso que Auguste Comte, por exemplo, criou, para a sociologia, a expressão física social.
Se não se importam, prossigo mais tarde.
(continua)

Contacto+retorno

Na margem esquerda do diário está um botão chamado Contacto e, na direita, outro chamado Feedback. Com o primeiro podem escrever-me, com o segundo responder a um questionário sobre o blogue. Muito obrigado a todas e a todos que, contribuindo em grande número, me têm ajudado a melhorar o conteúdo deste espaço e a dar-lhe, cada vez mais, o  perfil que o geral dos leitores, nacionais e estrangeiros, deseja.

A hipótese do duplo poder (5)

O quinto número da série, baseada num trabalho do jornal "O País", versão digital, conferível aqui.
Termino o ponto 1 do sumário proposto aqui.
1. Breve história do conceito. Escrevi no número anterior que, abolido o czarismo na Rússia em 1917, surgiram dois poderes em despique: o poder do governo provisório formado por membros da oposição burguesa liberal e de várias correntes socialistas reformistas e o poder revolucionário dos sovietes. Este iria destruir aquele. E deixei esta pergunta: tem Moçambique algo a ver com esse duplo poder? A minha resposta, a iniciar no próximo número, é esta: tem a ver com a possibilidade futura de um duplo poder mas de génese e configuração distintas.
(continua)
Adenda às 5:37: leia a versão digital do "Notícias" de hoje, aqui.

O casamento das famílias (14)

Décimo quarto número da série, mantendo-me no segundo ponto do sumário que vos propus aqui e sempre trabalhando com hipóteses: 2. Diferentes tipos de casamentos. Escrevi no número anterior sobre o cortejo classe média, dando-vos conta dos três tipos de viaturas que, regra geral, o compõem. Neste tipo de casamento os trajes são de cores quentes, garridas, sendo muito poucas as excepções associadas ao castanho e ao bege, por exemplo. De forma plena estão presentes os agrupamentos ao mesmo tempo de dançarinos e cantores, elas e eles, cada agrupamento com a sua cor identitária.
Permitam-me prosseguir mais tarde. A foto em epígrafe é minha e encontra-se aqui.
(continua)

Dossier (3) (Edição de 25/05/2012)

Queira conferir a terceira parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 25/05/2012, aqui.
(continua)

27 maio 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 3 do "Savana" de 25/05/2012
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (5); A difícil fórmula da distribuição de consensos (4); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (14); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

669ª foto (Onde?)

"Diário de um fotógrafo", aqui

Pasteurização social (23)

Vigésimo terceiro e último número da série de um tema cujo sumário está aqui e cuja definição foi dada aqui.
No segundo número desta série escrevi que a pasteurização social é o processo discursivo, consciente ou inconsciente, pelo qual aspectos considerados perturbadores da realidade social são travestidos em aspectos inócuos, destituídos de vida própria ou convertidos em preceitos morais. Por outras palavras: a pasteurização social procura eliminar os "microorganismos patogénicos" sociais.
Durante algum tempo procurei exemplificar um processo que, afinal, é uma modalidade da ideologia. Espero ter podido ser útil.
(fim)

Já disponível

Amplie a imagem clicando sobre ela com o lado esquerdo do rato

"À hora do fecho"/"Savana"/25-05-2012

Na última página do semanário "Savana" existe sempre uma coluna de saudável ironia que se chama "À hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Desde já, um aperitivo:
Enquanto o cachimbo anda por fora, o seu delfim e putativo sucessor desdobra-se em acções de charme focando os principais assuntos do momento, nomeadamente como os moçambicanos podem beneficiar dos grandes projectos. Para arrefecer os ânimos dos que esperam grandes mudanças em 2014...

Inimigos da internet 2012

Confira os países (=25% da população mundial) que a organização Repórteres sem Fronteiras qualifica como inimigos da internet, aqui e aqui.
Nota: esta é a 17.000ª postagem deste diário criado a 18 de Abril de 2006.

Turismo dos congressos

O nosso país é um dos países escolhidos por uma empresa que defende ser o turismo dos congressos um bom negócio em África. Aqui e aqui.
Nota: congressos, seminários, etc., sem dúvida que deve ser um negócio de ponta, há quem só sinta bem sentado e congressando sem fim, mais a pastinha de oferta e a garrafa de água mineral.

Dossier (2) (Edição de 25/05/2012)

Queira conferir a segunda parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 25/05/2012, aqui.
(continua)

26 maio 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 2 do "Savana" de 25/05/2012; "À hora do fecho"
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (5); A difícil fórmula da distribuição de consensos (4); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (14); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (23); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

13 de Junho/BCI/Mediateca/17:30/Maputo

Cidade de Maputo, Rua Joe Slovo (antiga Rua Joaquim Lapa), nº 21, 17:30 horas, Mediateca do Banco Comercial e de Investimentos (BCI). Para ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

A hipótese do duplo poder (4)

O quarto número desta série, baseada num trabalho do jornal "O País", versão digital, conferível aqui.
Prossigo no ponto 1 do sumário proposto aqui.
1. Breve história do conceito. Falei-vos em dois poderes no número anterior. Na verdade, abolido o czarismo na Rússia, corria o ano de 1917, veio à luz do dia um governo provisório formado por membros da oposição burguesa liberal e de várias correntes socialistas reformistas. Porém, ao lado desse poder liberal, surgiu o poder revolucionário dos sovietes.
Não tenho qualquer intenção de discutir esse fenómeno e de me distanciar do país.
Eis, de imediato, a pergunta, no país: tem Moçambique algo a ver com esse duplo poder?
(continua)

Negócios em Moçambique

Aqui. Para ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

Dossier (1) (Edição de 25/05/2012)

Queira conferir a primeira parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 25/05/2012, aqui.
(continua)

25 maio 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 1 do "Savana" de 25/05/2012
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (4); A difícil fórmula da distribuição de consensos (4); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (14); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (23); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

A propósito do Dia de África hoje

Em 1974/1975, cidade da Beira, estudante universitário e jornalista que era, decidi também tornar-me professor. Inscrevi-me no Liceu Pero de Anaia, tive o privilégio de ser aceite como professor eventual. Comecei, então, a subversão nas aulas: leccionar história de África e de Moçambique em lugar da história dos programas coloniais. Isso aconteceu nos antigos sextos, quintos e terceiros anos, especialmente nos quintos anos, cheguei a dar 48 horas de aulas semanais, de manhã, de tarde e à noite. Comprava na pequena livraria das Paulistas (ali onde funcionava a gráfica do antigo Diário de Moçambique, na rua onde morou o jornalista e poeta Heliodoro Baptista) montes de livros em francês (em especial da Présence Africaine), que lia sofregamente e cuja notícia fui dando e praticando, com estudantes entusiasmados por conhecer o que não conheciam. Dezenas de trabalhos de pesquisa foram realizados pelos estudantes (em trabalho de campo e na biblioteca municipal de então), muitos deles de grande valor, trabalhos que estavam guardados na direcção do liceu. Desse já distante tempo guardo a memória saudosa desses estudantes que tive na delicada fase de transição política do país, estudantes que souberam respeitar a história do nosso continente. Se a história se repetisse, eu procederia da mesma forma.

A hipótese do duplo poder (3)

O terceiro número desta série, baseada num trabalho do jornal "O País", versão digital, conferível aqui.
Inicio o ponto 1 do sumário proposto no número anterior.
1. Breve história do conceito. A história que desejo contar de forma breve e que contextualiza o conceito duplo poder, diz respeito ao que se passou em 1917 na Rússia, após o derrube do czarismo. Nesse longínquo ano surgiram dois poderes. Que poderes? Aguarde a resposta no próximo número.
(continua)

Próximo mês

Local, dia e hora a indicar proximamente. Para ampliar a imagem, clique sobre ela com o lado esquerdo do rato.

Dossier (7) (Edição de 18/05/2012)

Queira conferir a sétima e última parte de um dossier com peças do semanário "Savana" datado de 18/05/2012, aqui.
(fim)

O drama das maternidades em Cabo Delgado

24 maio 2012

Postagens na forja

Eis alguns dos temas que, progressivamente, deverão entrar neste diário a partir da meia-noite local:
* Genéricos: Dossier 7 do "Savana" de 18/05/2012
Séries pessoais: A hipótese do duplo poder (3); A difícil fórmula da distribuição de consensos (4); Hábitos e fixismos (9); O casamento das famílias (14); Sobre os guerrilheiros do informal em Moçambique (13); Modos de navegação social (15); Alteridade e subversão (5); Apóstolos das rosas de Fontenelle (7); Pasteurização social (23); Ditos (44); O que é Moçambique, quem são os Moçambicanos? (92)

668

668 fotos no "Diário de um fotógrafo", aqui

A hipótese do duplo poder (2)

O segundo número desta série, baseada num trabalho do jornal "O País", versão digital, conferível aqui.
Parece-me ser boa ideia propor-vos um pequeno sumário, como segue:
1. Breve história do conceito
2. A especificidade moçambicana
3. O futuro
(continua)

A difícil fórmula da distribuição de consensos (3)

O terceiro número desta série, baseada neste trabalho de "O País" aqui. Permitam-me entrar no primeiro número do sumário que vos propos no número anterior.
1. História da ciência, cientistas sociais e algumas ambições. Como sabeis, é ampla a história da ciência, fundamentalmente aquela que se tem passado nas universidades. Os saberes científicos rompem com os dogmas divinos, com as deduções de premissas havidas por eternas, com as intuições tornadas verdades.
(continua)

Titanopólio

Em epígrafe o título de um trabalho consultável no xitizap, aqui.

Sugestão

Três jornais a norte do Zambeze