O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2017 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

22 fevereiro 2010

Zimbabwe: terras para juízes?

Segundo o Zwnews.com, citando um relatório da União dos Criadores Comerciais, 16 juízes da mais alta instância judicial do Zimbabwe receberam terras ao abrigo da reforma agrária, pondo reservas sobre a sua imparcialidade para lidarem com disputas fundiárias. Aqui. Não consegui encontrar confirmação oficial sobre a posição da associação, em particular no The Herald. Tradução:Free Translation

27 Comments:

Anonymous Viriato Dias said...

Também não vejo mal nenhum, sobretudo que a terra mais do que nunca está nas mãos dos zimbabueanos. O anormal seria permenecer em mãos de estranhos, os indomáveis como era antes. Tenho a obrigação moral de assumir que este processo, progressista, têm erros, alguns dos quais a lamentar (é assim a vida dos mais fortes sobre os mais fracos, em toda a parte e em todo o mundo, selvagem ou civilizado), mas o ganho é maior. É o povo quem controla as terras, o seu património, as suas propiedades.

Mais tarde, quando tudo estiver resolvido e corrido com todos os tiranos, ai haverá tempo para julgar os vivos e os mortos, aqueles aue injustamente, entre os zimbabueanos, teve mais terra em relação a outro. Depois, depois da revolução em curso.

Zicomo

22/2/10 6:46 da tarde  
Blogger Abdul Karim said...

Puxa... entao depois da revolucao em curso... havera outra...? entre zimbabweanos...? pra dividirem corecctamente a terra entre o povo...?

... entao MDC esta fazer o que....?

...Viriato... ja estamos em 2010...

22/2/10 7:29 da tarde  
Anonymous José Chagas said...

Viriato Dias é um pseudónimo ou um heterónimo de Robert Mugabe?

22/2/10 8:23 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

...hoje estive com um amigo que foi passar 3 semanas ao Zim ,e contou-me que o arranca farms já é efectuado selvaticamente,se algum capanga decide se apoderar de determinada farm,só vai lá e toma-a...
e não é o governo a dar luz verde,são casos e casos e ninguém do poder se interessa com essa anarquia!!!
...que bonito,que exemplar ....
Tóxico

22/2/10 8:58 da tarde  
Anonymous Viriato Dias said...

Quando os colonialistas partiram para as suas pátrias, sobretudo os portugueses, ouvimos vozes dizer: "este gajo de Samora e sua cúpula vai ver, o país que é nosso e que construimos com sacrifício não vai ficar em pé durante 24h". Lá está a Frelimo e Moçambique em pé. Quando os ingleses deixaram o Zimbabue ouvimos també vozes a dizer: "bem, aquele país já era. Aquilo não vai aguentar nem 1 mês." Tiveram que impor duras sanções económicas contra Mugabe, a ZANU e o Zimbabue para conseguirem os seus intentos. Por isso, é normal que venham pessoas dizer que as terras estão nas mãos de juízes ou de serventes como alguém aqui ousou chamar. Que fique, pois está as terras, ainda que estejam nas mãos dos capangas, estes são legítimos donos. Nem que façam delas NADA, como acontece no nosso país, não interesse, é nossa.

Se os indomáveis quiserem e se isso lhes convém, podem alterar as suas leis e não permitir que as terras, suas próprias terras, estejam nas mãos de uma única pessoa. Onde é que já se viu que a terra de um país deve pertencer a terceiros? A terra pertence ao Estado e aos povos desses mesmo Estados. Eu não posso ter terras, por exemplo, no coração da Inglaterra, mas um ingles pode ter terras em África do tamanho da Suécia? Isso é bonito, não é meus amigos?

Vejam só o que está a acontecer na Madeira, em Portugal. Chamam tragédia por terem morridos 30 pessoas, cujas vítimas eu também lamento. Mas, vendo bem as coisas, em África onde impõem sanções morre-se por dia mais 100 pessoas. Que interesse tem essa gente que morre? Nada. A União Europeia e todos os organismos de ajuda mundial estão ao rubro para ajudar a Madeira, até os mais sofisticados meios de combate foram disponibilizados pela UE para ajudar a Madeira. Ainda bem, concordo. Fazem o mesmo com a África? NADA. Amigos, por aqui termino, estou triste com o dogma de algumas pessoas, a troco de estadia grátis, até juram de pé juntos que não são Moçambicanos.

Zicomo

22/2/10 10:32 da tarde  
Anonymous Viriato Dias said...

Da maneira como criticam Mugabe não sei se eram capazes de se criticarem a si mesmo. Ah, Karim, o importante é desalojar os indomáveis que não queiram compartilhar as terras com os negros, quem quiser que fique lá, mas deve obedecer as regras dos zimbabueanos, caso contrário, o lamento vai durar uma eternidade. No futuro, quando tudo estiver calmo, ai vai se descutir quem dentre os zimbabueanos tem mais terra em relação ao outro. Isso vai durar um tempo claro. Deixe o MDM, é uma partido fantoche, não vai durar muito tempo, aquilo está nas vistas que é um instrumento imperialista. O povo do Zimbabue não é burro, sabe disso. As patetices do Morgan em ir a televisão dizer que foi agredido por Mugabe acabaram, agora estão juntos em Harare a tomar um uisque. Só não vê quem não quer.

Zicomo

PS: Desde que se começou a falar de Mugabe, quem mais perdeu foram eles, os seus inimigos, perderam todos, o país está ai, o Mugabe está ai, o poder está nas mãos da ZANU, tal acontece cá, no país, ao invés de se dedicar esforços para destruir o vírus do SISTEMA, não, é próprio de frustrados políticos, de dedicam todo o esforço jamais visto em combater defeitos das pessoas, dos chefes, do Pedrito, do Chipande, isto tudo com discursos de papéis furados e sob efeito de Cacharamba. O vírus, a lixeira, tudo o que forma um sistema fica intacta, porque os homens morrer e os sistemas ficam.

Zicomo

22/2/10 10:44 da tarde  
Blogger umBhalane said...

Tudo isto está na linha dos usos, costumes, e tradições,... de alguns Africanos.

Temos que respeitar.
A diferença.
O Outro.

Na Papua Nova Guiné também é diferente.

Afinal, todos temos direito à diferença, às nossas peculiaridades.

Diversidade, é bom.

22/2/10 11:12 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Vejam só o que está a acontecer na Madeira, em Portugal. Chamam tragédia por terem morridos 30 pessoas, cujas vítimas eu também lamento."

Caro Viriato, não chamam de trágédia por terem morrido 30 pessoas; não é só pelas mortes, mas é pela magnitude da destruicão que chamam de tragédia. É preciso que eu te diga isso, Viriato?

Em Portugal, na Madeira e no mundo todo, lamenta-se a perda de cada vida humana e 2, 3, 20 ou 30, são apenas números.

"... o importante é desalojar os indomáveis que não queiram compartilhar as terras com os negros...".

Viriato, e que tal os indomáveis que nao queiram partilhar as terras com os brancos, misticos ou "indianos"? O mais engracado nas tuas afirmacões é que não aceitas o teu carácter "racista"; para ti são zimbabweanos os negros e todos os outros, são colonialistas ou indomáveis.

Não me espanto se um dia apareceres com difinicões de africanidade segundo a côr da pele e aí... o Karim, o Professor, a Linette e muitos outros perderão a sua "mocambicanidade".

AAS

23/2/10 11:21 da manhã  
Blogger umBhalane said...

O mito do bom selvagem faz muito, muito, muito,...tempo, que caíu por terra.

E a esquizofrenia é uma doença grave.

23/2/10 11:53 da manhã  
Blogger umBhalane said...

"Não me espanto se um dia apareceres com difinicões de africanidade segundo a côr da pele e aí... o Karim, o Professor, a Linette e muitos outros perderão a sua "mocambicanidade"."

Nem vou comentar esta pertinente questão, pois, acerca dela, tenho firmes razões, convicções, que marcaram o trajecto da minha vida.

E porque não quero ser desagradável.

Como no caso dos doentes com doença grave, terminal, nem todos estão preparados para ouvir a verdade fatal.

É preciso muito, muito, muito,...estofo, bagagem, arcabouço,...

Por isso, os médicos mentem a muitos doentes.

Eu como não gosto de mentir, abstenho-me, às vezes rodeio...

23/2/10 12:06 da tarde  
Blogger Abdul Karim said...

Ja que a coisa esta entrar por ai... 'e melhor eu esclarecer a minha posicao...

Declaro por minha Honra, que nao tenciono concorrer para ser chefe de estado de Mocambique...ou nenhum outro cargo politico...! Abdico desse direito...! pertendo apenas... contribuir para que a fome e miseria, dos meus, acabe..! com investimento na Educacao...! e ja agora, sem discriminacao racial...!

E nem tenciono deixar de ser Mocambicano...! Nem mesmo se o Viriato quizer...! Eu nao quero...deixar de ser Mocambicano...Nao!

Depois tenho muitos direitos e indemnizacoes por receber...! de alguns malandros...! que o actual governo nao quer resolver...!

e tenho tambem muitos irmaos negros, brancos, amarelos, vermelhos... so faltam azuis...!

23/2/10 1:11 da tarde  
Blogger Chacate Joaquim said...

Com relação ao caso Zimbabwé, concordamos com a nova redistribuição desde que seja equitativa e justa para os filhos do Zimbabwé.

Nunca ouvimos que um grupo de recém graduados foi atribuido farmas que estavam nas mão dos sei lá quem! no entano houve-se que o mesmo aconteceu para com os antingos combatentes (militares) essa é a nossa preocupação.

A outra não menos importante, é que o estado não pode ser refém de libertadores! creio que não esse o objectivo da luta. Zimbabwé e ZANU PF podem ter um novo lider e merece! Não acha Viriato?

Sabe, Mugabe pode muito bem continuar com a "luta pela independência do Zimbabwé" fora do cargo do PR ou Presidente da ZANU!

O maior problema de Africano é que o que é bom não sabe emitar prefere as más práticas como Homossexualismo, aborto, assaltos a mão armada etc.

Alternância no poder sem precisar de mudar o partido, trânsparencia, limitação e poderes não nos interessa e construimos argumentos bonitos até nos atrevemos a associar isso à cultura ( até parece estática) africana!

23/2/10 1:12 da tarde  
Anonymous Viriato Dias said...

Não sou racista. Nem deixam de ser zimbabueanos os brancos nascidos no Zimbabue, mas lamentyo a forma como esses brancos agiam, a quantidade de terras que estavam nas suas mãos. É isso que eu lamento amigos e não o contrário. Estão agora a querer fazer tempestade em copo de água. Já não é contra Mugabe, é contra Viriato Dias. O que chegou a Jesus não chegou a mim, disse Morin.
Zicomo

23/2/10 1:16 da tarde  
Anonymous viriato dias said...

De acordo, primeiro sugiro que os indomáveis acabem com os seus castelos, os seus reinados, depois tiramos o Mugabe do poder. Veja o outro lado das coisas, eles podem ter corruptos, nós não. Eles podem ter cientistas, nós não, eles podem tudo, nós é que não podemos nada. Amigo Joaquim, parabéns pelas suas análises. Sou contra essas invesões ocidental de homossexual, lésbica etc, etc, etc e é melhor eu parar por aqui. Já escrevi ao PS que isso vai dar confusão no futuro. É só ver como está hoje os jovens indomáveis....o Estado paga....

Zicomo

23/2/10 1:25 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Não sou racista" - diz o Viriato Dias, mas continua a distinguir o Homem segundo a côr da pele (ou raca) tratando o Homem por branco ou negro, por ex."compartilhar as terras com os negros...".

Mais adiante escreve: "Sou contra essas invesões ocidental de homossexual, lésbica etc, etc, etc e é melhor eu parar por aqui." e aqui continua a distinguir o Homem pela sua orientacão sexual.

Caro Viriato Dias, o que é precisas para perceberes que és o que tu achas que nã és? Eu não disse que tu eras ou és racista, mas a tua reaccão mostra que o "capacete" serviu-te.

Zikomo kwa mbiri!

AAS

P.S. Não precisas de responder à minha postagem, mas pense antes de escreveres.

23/2/10 2:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Caro Viriato, Será que a terra do Zimbabwe só estava nas mãos de "esses brancos" como tu os chamas? Havia Zimbabweanos que não são "esses brancos" e que detinham terras antes da expropriacão? quantos zimbabweanos "não brancos" foram expropriados?

23/2/10 2:13 da tarde  
Blogger Reflectindo said...

Caro Viriato

1. Parece que não entendeste bem o que Chacate escreveu. Não podeste concordar com ele, ainda sem argumentar se é o contrário do que defendes.

2. Ainda não me respondeste sobre a assiciacão que fizeste de PDD e Raul Domingos ao Ocidente. Na tua opinião, serão eles produto de Ocidente? Porquê conclues assim?

23/2/10 3:03 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Viriato, se tu não es racista, as tuas atitudes são racistas.

23/2/10 3:55 da tarde  
Blogger umBhalane said...

Tanto barulho SÓ porque se deram umas territas aos juízes, que foram tomadas, roubadas, expropriadas a outros.

Coisa NORMAL!

Para quê tanta efervescência?

Deixa-andar.

23/2/10 5:22 da tarde  
Anonymous Viriato Dias said...

Tempo me falta para argumentar que não tenho nada de racista. Mas como Excias insistem e persistem nisso, que seja segundo a vossa vontade. Duma coisa estou claro: não sou apologista das políticas ocidentais que visaram e visam a expropriação e a pilhagem do continente africano e não só. Os exemplos estão a monte, tal e igual a lixeira de Hulene. Estou ciente de que não são todos os países que enveredam por estes trilhos, mas ficaria-vos muito mal se V.Excias discordassem que os mais poderosos, da densa selva, anda com estas pretensões. Até vimos acrobacias de ódio e de sanções que impuseram contra o Zimbabue. Um esforço nulo, porque a muralha de ferro e aço (o povo) tem sabido resistir.

Amigo Reflectindo,

O Ocidente deve deixar de policiar a África, se quer ter de mim uma boa apreciação, que deixe de uma vez por todas a ser a Procuradoria Geral ou Juiz das causas de África. Deixe que sejam os africanos a conduzir as suas políticas de forma que enetendem. Mugabe nunca criticou, que eu saiba, os majestodos palácios e ou castelis erguidos com o sangue dos escravos africanos que perfilam a beleza de algumas das suas cidades. Até parece um vírus em estado terminal, esta mania de querer policiar Mugabe e o Zimbabué. Deixem o homem trabalhar.

O maior cancro da África toda a gente sabe que não são os políticos que temos, até porque são dos melhores, mas sim a longa devastação que o continente sofreu ao longo de 5 séculos. Foi duro, duro demais. Tudo isto passou para a História, mas permitir ou conceber medidas destas, seria admitir que o nosso lugar, como africanos, é na sanzala!

Quanto ao resto, sobre Raul Domingos e outros, se nãp consigo aqui provar, o tempo que é o maior professor há-de fazâ-lo por mim. Ainda admiro aquele homem e a sua capacidade. Fica o aviso que a raiva, nem a frustração estrangam o julgamento certo das nossas consciências. Formar partido para combater defeitos ou lutar contra pessoas e não sistema, dá no que dá.

Zicomo

23/2/10 5:35 da tarde  
Blogger BMatsombe said...

Bons e maus, brancos e pretos. Coisa bué gira neste sr Dias não é o que diz pois é tudo banal, mas a transformacao que sofreu desde as eleicoes. Leiam escritos anteriores e logo vao ver.

23/2/10 5:52 da tarde  
Blogger umBhalane said...

Se o MDM não tivesse falhado (por imposição)...

Há, por isso, que corrigir a rota, guinando drasticamente, mesmo saindo da pista, que é o caso em apreço.

Mas a frelimo topa, nisso são bons, até eu reconheço!

Reservam o direito de admissão.

Coerência.

23/2/10 6:02 da tarde  
Anonymous ricardo said...

Hum, hum...parece que Sibyndicus ja nao esta so.

23/2/10 6:15 da tarde  
Anonymous Viriato Dias said...

Bem, vejo que agora a escolinha mudou de canos. Já estou habituado. As comunicações não param, há um esforço para farrejar quem é este Viriato Caetano Diasd, cuja identidade não forja. Não escondo e dou a cara.

Estou pronto para entrar nessa nova onda de falsas especulações que querem criar contra a minha pessoa. Mal de mim defender a Mugabe, logo, não presto nem como escravo!Mal de mim defender certas políticas correctas do governo, logo, sou um catavento. Se defendo a oposição, logo, se não sou menino bonito, então, os indomáveis, alguns, dirão que sou frustrado político. Não sei, juro pela alma do diabo, o que dizer perante tamanha falta de visão e sentido de estar.

Eu sou um cidadão do mundo, livre, apoio os planos do MDM (porque os li), apoio as políticas dos partidos que tem como estrategia principal o desenvilvimento humano, o progresso científico. Isso é mal para algumas mentes. Aqueles mentes que vivem respirando o ódio, a inveja, o maldider, são, ao meu ver, os verdadeiros rejeitados, os sem pátrias, os encapuzados, os chinconhocas, até são capazes de negar a sua cor e origem. Eu não sou desses.

Não tenho cartão de nenhum partido político. Se necessário for, falo com o Daviz Simango do MDM no que achar que devo ajudar; com o Jorge Rebelo, ou com o Mazanga da Renamo, também se achar que devo dar o meu contributo político. Sou um freelance. Sou funcionário público sem precisar de fazer sombra a ninguém. E acho que é meu dever ajudar o país a crescer, o que muitos fazem com uma musculatura do ódio e inveja.

Zicomo
Zicomo

23/2/10 6:39 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Viví, para não escrever Viriato porque já comeca a meter nojo, "...Aqueles mentes que vivem respirando o ódio, a inveja, o maldider, são, ao meu ver, os verdadeiros rejeitados, os sem pátrias, os encapuzados, os chinconhocas..."

Viví, seja coerente nas tuas afirmacões porque estás a manifestar sinais de quem está mentalmente perturbado.

AAS

23/2/10 9:30 da tarde  
Blogger Reflectindo said...

Amigo Viriato

1. Se quiseres estar num extremo contra o outro extremo a escolha é tua. Não penso que é isso que é o problema. Quero imaginar que também respeitas as escolhas dos outros africanos e não menos os que NÃO se posicionam nos extremos.

2. Não respondeste a questão fundamentamental sobre a relacão PDD e Raúl Domingos com o Ocidente. Deves ter alguma razão por isso e eu não vou insistir nisso. Entretanto, eu queria dizer que me surpreendestes bastante que estejas a ver o ocidente em todo o lado. E essa maneira de vires o ocidente, o homem branco, para mim pode revelar um tipo de complexo. Na entrevista, Raúl Domingos disse alguma coisa que merecia a nossa atencão como mocambicanos.

3. Continuo achar estranho que consideres anti-zimbabweanos, aqueles que em Marco de 2008, não votaram no ZANU-PF e Mugabe, mas no MDC e Tsivangirai.

Mas em tudo isto, deves ter as tuas razões.

Abraco

23/2/10 11:10 da tarde  
Anonymous Viriato Dias said...

Não tenho absolutamente nada contra o Ocidente, nem qualquer tipo de complexo. Por favor, amigo Reflectindo, não generalize as coisas. Já aqui disse do que eu estou contra e não vou reptir. Há-de ter que compreender esta minha decisão.

Sobre o PDD, a mesma coisa. Espero que o amigo faça uma introspecção da génese do PDD, os meios que teve durante as eleições de 2004 (?), que nem mesmo o MDM, com todo o apoio do povo e da massa intelectual e até do mundo antifrelimo, não possui meios de duração descartável que teve o PDD. Portanto, se não foi o Estado a dar, nem podia ter sido o visado, então, veio do céu aqueles meios todos que mal a Frelimo, em 30 anos de história, conseguiria ter. Sobre o que disse, A respeito da tal entrevista, acho justo que o visado tenha a coragem de vir a público "entregar o peito às balas."

Sobre o facto do povo ter votado no MDC e não na ZANU, ainda que a ZANU tenha permanecido no poder...também ja escrevi sobre isso e postado, com a sua permissão, no "Reflectindo sobre Moçambique", por sinal, seu blogue. Sofri as mais duras reacções vindas de várias partes. Mugabe não podia entrar o poder quando sabia que a reforma agrária seria um fracasso e não só, sobretudo no facto de: primeiro temia a instabilidade política do país (caos total), depois o poder voltaria a cair nas mãos dos farmeiros que não queria nem estavam dispostos a ceder às terras, aqueles que sob comando da terra de Sua Majestade, queriam fazer do Zimbabué um prolongamento britânico. Isso sim.

Fui claro?


Zicomo

24/2/10 12:44 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home