O blogue "Diário de um sociólogo" foi seleccionado em 2007 e 2008 pelo júri do The Bobs da Deutsche Welle - concurso internacional de weblogs, podcasts e videoblogs - como um dos dez melhores weblogs em português entre 559 concorrentes (2007) e um dos onze melhores entre 400 concorrentes (2008). Entrevista sobre o concurso de 2008 no UOL, AQUI.
Para todas aquelas e todos aqueles que visitarem este diário, os meus votos de um 2018 habitado pelo futuro, pela confiança, pela tranquilidade e pela saúde. Sintam-se bem e regressem sempre a este espaço criado a 18 de Abril de 2006. Abraço índico.
Myspace Layouts

27 novembro 2008

A "hora do fecho" no "Savana"

Na última página do semanário "Savana" existe sempre uma coluna de saudável ironia que se chama "A hora do fecho". Naturalmente que é necessário conhecer um pouco a alma da vida local para se saber que situações e pessoas são descritas. Deliciem-se com "A hora do fecho" desta semana, da qual vos dou, desde já, dois aperitivos:
* O tio Afonso esganiçou-se a falar de fraude o que foi acolhido com um sorriso condescendente de disco partido. Só que os diferentes cozinhados de secretaria estão a dar razão parcial à perdiz. Na Beira, há um apuramento surrealista que dá a maioria absoluta à Frelimo, quando a contagem paralela nega redondamente tal resultado. Em Nacala, para a comissão de eleições o candidato da maçaroca já ganhou. A contagem paralela indica a necessidade de uma segunda volta, para além de em Maputo terem sido validados 56% dos votos considerados nulos localmente, o que é pouco habitual.
* Mas ainda há mais. A análise dos boletins de voto que vieram da Ilha de Moçambique, do Monapo e de Gondola, indicam que, grosseiramente, alguém pôs uma impressão digital extra nos votos para os invalidar. Se a polícia quiser, até pode descobrir a quem pertencem as diligentes impressões digitais de quem contava os votos nas assembleias onde se verificaram estas falcatruas.

27 Comments:

Anonymous Nuno Amorim said...

Caro Dr. Serra,
Começo a concordar com a voz da revolução…"não percebemos onde é que o Dr Carlos Serra pretende chegar com os seus posts políticos e gostaríamos de desafia-lo a explicar-nos melhor".
Se falasses dos municípios de Nacala e Gorue, ainda perderia meu tempo em tentar analisar. Mas perder o meu tempo com os municípios onde a Frelimo teve mais do dobro da Renamo é estupidez. Falta dizer que a deserção do candidato do Chokwe também foi fraude.
Caro Dr. Serra, se queres contribuir para o desenvolvimento da democracia Moçambicana procure analisar as patologias que enfermam a Renamo.
Dr. Serra, agora que vários assessores da Renamo abandonaram os respectivos postos, acho que pode candidatar-se ao Posto de Assessor Politico da Renamo.
Acho que é dos poucos académicos que ainda defendem o discurso de fraude do líder da Renamo. Provavelmente para o Dr. Serra a retirada do Deviz Simango também foi resultado da fraude enveredada pela Frelimo.
Dr., delicie-nos com análises académicos como as proferidas pelo Dr. Elísio Macamo e outros verdadeiramente preocupados com a nação Moçambicana.

Orgulhosamente Moçambicano, Nuno Amorim

28/11/08 1:36 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Hehehehe ... a hora do fecho merece nota 20.

Parabens a Mutola, ela ta la bem nos nossos coracoes.

Noticias humoristica mas nutridada de factos ... se as impressoes digitais la estao, a investigacao criminal deve investigar.

Agora, sera que este sociologo que investiga linchamentos ira diversificar seus objectos de estudo?

Alguem quer me dizer quem eh a espetaculosa ou "comentador da espetaculosa"?

Laude Guiry (Sem critica)

28/11/08 8:26 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Professor

Como de desporto se falou ... podia incluir no diario o sucesso que as nossas alvinegras estao a fazer no Kenya (Noticias)

Laude Guiry

28/11/08 9:19 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Caro Amorim, porque nao discutes ideais em vez de te fixares nas pessoas? Num jogo de futebol os jogadores procuram a bola e nao o opositor, apesar de estar claro que sao de equipes diferentes. Neste blog, jah passamos disso. O Prof. Serra faz as suas analises em base de fontes publicas. Consulte-as e critique-as em vez de "shoot the messanger"!

28/11/08 9:53 da manhã  
Anonymous Mário said...

Bom dia.,

Laude Guiry

Espetaculosa é STV e o comentador é o Dr. Namburate.

aquele abraço

Mário

28/11/08 9:59 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Senhor Dr. Carlos Serra:
Felizmente ninguém estava por perto porque se calhar levaria um susto com o berro de estupefacção.E isto porque?
Não é possível aceitar com naturalidade afirmações segundo as quais o número de votantes a favor do adversário politico nas recentes eleições se deveu a tolerancia de ponto.
Por favor, não há pai, mãe ou filho maior que faça a pé, de bicicleta ou mesmo de carro centenas de kilometros entre a sua povoação no Ruace até a sede do distrito do Gurué para votar.
Mesmo que o fizesse não podia votar, visto não estar alí registado e o seu nome jamais seria encontrado naqueles cadernos.
Que motivações teriam essas pessoas com todas as vicissitudes da vida arriscar em fazer 100, 150 km para votar? O que ganharia esse eleitorado votando em candidatos que nada têm a haver com sua povoação ou posto administrativo?
Afirmar que a tolerancia de ponto concedida pelas autoridades foi uma decisão para incentivar o aumento do número de pessoas junto as urnas é de todo aceitável se concordarmos da sua utilidade nos 43 municipios.
Mesmo assim, a tolerancia de ponto não aquece nem arrefece, não altera em nada o quotidiano das populações como as de Chibuto,Gorongosa,Marrupa,Ulóngué, Ribaué,Gondola e outros tantos territorios municipais do interior de Moçambique.
Não muda porque é o eleitorado essencialmente camponês.As quatro da manhã já está a caminho da sua sua machamba ou mercado, e ao fim da tarde está de regresso á casa. O horário é feito pelo próprio. Se não quiser colher o sua mandioca e fôr votar não há falta ao serviço e nem processo disciplinar.
Tolerencia de ponto são para os trabalhadores do sector público e privado, o grupo minoritário do nosso eleitorado.
Estes eleitores sim, quando não interessados em fazer valer o seu poder de voto aproveitam o tempo concedido oficialmente para tratar dos afazeres pessoais quanto mais não seja descansar á sombra da sua ampla varanda ao som de boa música e o paladar de um scotch.
Portanto, vir dizer que a tolerancia de ponto foi um golpe baixo para tirar dividendos, por favor é uma ofensa as mentes racionais.
As justificações por mais que sejam bem argumentadas , só justificam e não dão soluções.
Quando a justificação é institucionalizada não há espaço para bons resultados.
A condução, o destino de uma organização seja ela desportiva,economica, social, cultural, enfim tudo o que seja o agrupar de pessoas com um objectivo, só sobrevive se houver clareza no que se pretende.
São poucos os que dão o seu capital intelectual, fisico e financeiro num negócio sem garantias, que não tem mercado, que não oferece outros produtos para ombrear com a concorrência.
É confrangedor quando se persiste em não fazer uma reflexão da própria derrota e, pior ainda, no lugar disso a desculpa assenta numa fraude generalizada, mesmo com o marcador electrônico do estádio, mostrando a todos, os números do descalabro.

28/11/08 11:13 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Concordo com o anonimo, nao nos fixemos em nomes mas sim em factos. Porque não discutir sobre municipio onde a frelimo ganhou em dobro sobre a renamo? Porque não? É mau concluirmos que as vitorias foram todas justas. Por acaso exclui a possibilidade desse "dobro" ter sido forjado? Conhecendo a frelimo, convem sim que se apure toda a verdade, nao importando os resultados.
É lamentável a sua ironia relativamente a asseroria do Dr. Serra...ele tem prestado um bom serviço a sociedade com as analises e informações que faz, pena nem todo mundo ser capaz de perceber e distiguir isso de outras coisas...

Bom trabalho Dr. Carlos Serra, continue assim, há gente com mente sã que o aprecia, acompanha e encoraja levar avante o seu bom trabalho.

28/11/08 11:22 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Os colonos fizeram revolucao, mataram mocambicanos, os Marxistas com a sua revulucao mataram, os democratas tambem, agora outra voz da revolucao, nao matem o professor Serra. Nuno Amorim e Voz da Revolucao digai onde prentendeis vos chegar com as ameacas ao professor, nao o mandem para Mtelela, nao foi ele que traiu os ideais da revolucao de 64, nao foi ele que matou aqueles que tinham uma loja e hoje sao donos de tudo o que e empresa em Mocambique.

28/11/08 11:41 da manhã  
Blogger Antonio said...

Nuno Amorin1

Penso que não deves ficar no simplismo, movendo-se pela cegueira partidária. Sabe, custa-me tanto acreditar que os "cidadãos" dos municipios sob a alçada da RENAMO estejam tão revoltados com o partido que decidiram se vingar. Os números, para mim um pacato cidadão, mais interessado com a verdade, assustaram-me.

Eles podem estar querendo dizer isso: olhem, o povo está contra a RENAMO, o que pode ser falso. Ontem li, no Canal de Moçambique, trecho da entrevista de um cidadão de Nacala, ameaçando fazer levantes, caso a verdade não seja reposta. Veja, ele dizia que "nós não nos esquecemos o que eles fizeram contra nós". Referia-se ao partido no poder.

Então, quer dizer que o Povo se esqueceu do que fora feito de um dia para outro? É pouco provável.
Pelo que entendi aqui, a postagem do professor Serra é uma cópia do que foi publicado pelo Jornal Savana e que consta da última página. Veja, primeiro, se a ordem dos temas da postagem é a mesma que consta do Jornal Savana para depois acusar se a postagem é ou nõa tendenciosa. Problemas metodológicos!

28/11/08 12:16 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

ESPANTOSA A TENDÊNCIA DE ALGUNS SECTORES DE DIZEREM COISAS MUITO SÁBIAS. ESPANTOSA A DIFICULDADE DESSES SECTORES DE FORMULAREM PERGUNTAS SIMPLES QUE SERVIRIAM PARA DAR SUPORTE ÀS SUAS ACUSAÇÕES. ALGUÉM, PARA ALÉM DE DLAKHAMA E DE CARLOS SERRA, VIU OS TAIS CAMIÕES A TRANSPORTAR CAMPONESES EM MAPUTO, NO XAI-XAI, EM RIBAUE, EM MILANGE, NO GURUE, EM NACALA...?
aLGUÉM, QUE SEJA SÉRIO E CREDÍVEL, E QUE VIVA OU TENHA ESTADO NESSES MUNICÍPIOS, VIU OS TAIS CAMIÕES?
dLHAKHAMA A CARLOS SERRA PODEM NOS DIZER QUEM SÃO ESSAS PESSOAS QUE VIRAM AS CENTENAS DE CAMIÕES QUE ALTERARAM O SENTIDO DE VOTO NAS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS RECENTEMENTE TERMINADAS?
EU CREIO QUE É SÓ A PROPENSÃO DE FALAR MAL. QUANDO NÃO HÁ NADA MAU INVENTA-SE. ISSO PODE-SE DESCULPAR EM DLAKHAMA MAS NÃO EM CARLOS SERRA.

28/11/08 1:04 da tarde  
Blogger Antonio said...

Nuno ou Anónimo

Não se trata de defender o professor. Mas para quem acompanha o debate, em momento algum houve, por parte do professor, uma posição respaldando as acusações de Fraude. Ele apenas recolhe as informações e as postas para cada um tirar a sua conclusão. Isenção total na recolha, é dificil. Mas se é o que se diz na praça, porque não divulgar o dito?
Os comentadores são os que se posicionam.

Se quer discutir se houve ou não fraude, faça-o com os comentadores e não com o bloguista.
Abraços

28/11/08 1:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A selecção dos materiais num digest é, em si, uma posição. A insistência com que determinada matéria é colocada destina-se a sedimentar crenças, opinião, estado de espíritos.
Creio que o António é aquele filósofo que nos informou que tirou um diploma em comunicação. Então deve saber que a nossa posição se reflecte também na maneira como seleccionamos o material a postar.
na verdade, o objectivo do Professor é contrastar a opinião que diz que a FRELIMO venceu de forma esmagadora. Como é que faz isso? Introduzindo a suspeita na maneira como a vitória foi construída (não resulta de nenhum trabalho, resulta de dezenas de camiões que transportaram camponeses ignorantes, com o objectivo de alterar o sentido de voto). Ao mesmo tempo, moraliza os derrotados, dizendo-lhes que na verdade não foram vencidos. O que aconteceu foi que a FRELIMO praticou uma fraude sofisticada.
A mensagem principal que pretendo transmitir é que a insistência de Carlos Serra em relação à fraude não é tão inocente como António quer nos fazer crer.

28/11/08 1:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O Nuno Amorin e este ANONIMO foram colegas meus de carteira, os conheço bem. Pessoas teimosas e radicais. Eles já não pensam, mas sim se guiam pela política.

Amigo de longa data

28/11/08 1:44 da tarde  
Blogger Antonio said...

O primeiro Anónimo:
Nunca defendi a total parcialidade nos processos de difusão de uma informação. Apenas não admito que se intimidem as pessoas porque insistem em falar das mesmas coisas.

Olha, cada um e cada uma de nós, somos intelectuais, no sentido amplo do termo, divididos entre tradicionais e orgânicos. Exercemos a tarefa de dar consciência e homogeneidade ao grupo social a que pertencemos, difundido a respetiva concepção de mundo.

Assim sendo, nada mais vejo nas postagens que a difusão de uma certa concepção de mundo, buscando alcançar consenso para uma determinda direção política e cultural.

Ninguem está obrigado a seguir essa direção. Se você luta por uma outra hegemonia, no lugar de uma guerra de movimento, porque não faz a guerra de posição, tal é a postura do professor Serra?

O teu discurso é o próprio de um Estado restrito em que o exercício do poder se faz pela força e não pelo consenso. A intimidação é uma das formas de exercício do poder pela força.

Apenas não aceito a intimidação. Leio as informações, mas não as consumo acriticamente. A pergunta que me acompanha é: será isso mesmo.

Então, se foi ou não fraude, temos de pensar na possibilidade. Fazer ou obrigar a que os outros não pensem nela, para se centrar nos problemas internos de um partido, é perigoso. Não vai passar de um boa cortina de fumaça.

Nunca me assumi como filósofo, senão um razoável aprendiz da história da Filosofia, o que é bem diferente.

Abraços

28/11/08 3:20 da tarde  
Blogger Antonio said...

Retificando;
Queria dizer total imparcialidade

28/11/08 3:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

CARO ANTÓNIO, IDENTIFICOU ALGUMA FORMA DE INTIMIDAÇÃO NAS MINHAS INQUIETAÇÕES. QUANDO RELEIO O MEU TEXTO SÓ ENCONTRO PERGUNTAS SOBRE ONDE CIRCULARAM OS TAIS CAMIÕES QUE TRANSPORTARAM CAMPONESES COM O OBJECTIVO DE ALTERAR O SENTIDO DE VOTO. EM QUE ESTRADAS CIRCULARAM? QUEM ERAM OS MOTORISTAS? ONDE FICARAM ALOJADOS OS TAIS CAMPONESES? NAS SEDES DO PARTIDO DA MAÇAROCA? OU NAS CASAS DE PARENTES DOS TAIS CAMPONESES? QUEM OS ALIMENTOU? CADA UM SE ENCARREGOU DE COMPRAR A SUA COMIDA?

SE SE FOR PELA HIPÓTESE DE CADA UM DOS CAMPONESES TER IDO PARA CASA DE PARENTES E TER IDO SEM QUALQUER ENQUADRAMENTO PARA AS MESAS DE VOTO: QUE CERTEZA É QUE HÁ DE QUE SAÍRAM DAS CASAS DE SEUS PARENTES PARA IREM VOTAR? CASO TENHAM IDO VOTAR, CADA UM DO SEU LADO, SEM QUALQUER ENQUADRAMENTO, QUE CERTEZA HÁ DE QUE ESSE ESFORÇO LOGÍSTICO NÃO SE DESTINOU A FAVORECER O ADVERSÁRIO?

CARO ANTÓNIO, É A ESTAS PERGUNTAS QUE CHAMA INTIMIDAÇÃO? LÁ NA HISTÓRIA DA FILOSOFIA, SEU OBJECTO DE ESTUDO, FAZER PERGUNTAS É INTIMIDAR? OU ESTÁ A SUGERIR QUE ACEITEMOS TUDO O QUE CARLOS SERRA DIZ SEM QUALQUER MANIFESTAÇÃO DE DÍVIDA? PARA O AMIGO ANTÓNIO A ÚNICA FORMA DE DIALOGAR COM CARLOS SERRA É APOIAR TUDO O QUE DIZ, ACRESCENTADA ALGUMAS PORRADA NA FRELIMO DA NOSSA PRÓPRIA CONTA?

28/11/08 3:48 da tarde  
Blogger Antonio said...

Caro Anónimo (são tantos que já não se sabe com que se discute).

Há várias formas de intimidar, pois,na gramática portuguesa, existe o discurso direto e o indireto. Indo à gramática da linguagem, na história da Filosofia, aprendemos a proferir discursos emotivamente neutros.

Apenas fico me perguntando sobre o sentido da expressão: "onde o Dr. Carlos Serra quer chegar com isso". Já parou para pensar quantas coisas foram ditas nessa expressão? Não quero ser o interprete, mas deixo para você.

Eu, repetidamente, afirmei que não estou apoiando a ninguem, mas sim, a favor do livre curso das ideias. As questões que você coloca são pertinentes e mostra que está aprendendo a agir metodologicamente.

Se deixar de questionar as intenções do bloguista e passar a perguntar pela aparente irracionalidade dos fatos relatados, ali você estará contribuindo para se encontrar resposta sobre o que aconteceu.

É o primeiro passo em ciência: perguntar para buscar informações e dados empíricos (embora deteste o positivismo) que possam ou confirmar ou desmentir os fatos.

Em ciência há mais erros que verdades. Por isso que continuamos em busca da verdade.

Abraços
Belo Horizonte
Brasil

28/11/08 4:14 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Eu pessoalmente interessa-me a verdade, nao me importa quem e com quais nrs ganhou. Se ha uma possibilidade de fraude, esta deve ser falada e apurada a sua veracidade ou não. Ja não nos é permitida a estupida posição de aceitar as coisas cegamente, moçambicanos ja tem alguma maturidade que nos obriga a encarar qualquer situação com alguma critica, desde que construtiva. Já me fartam as ladainhas da Renamo (do Dlakama) sobre as fraudes, mas nao abramos mão, aliás, nao aceitemos que brinquem com a vontade do povo,se for verdade tudo isso que se diz! Nao tapemos o sol com a peneira, vamos falar dos problemas sim, pois é a unica maneira de ultrapassa-los!

28/11/08 4:38 da tarde  
Blogger Antonio said...

Quem é o povo moçambicano? Discurso populista ainda?

Abraços

28/11/08 5:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Caro Antonio,

Entao? Já nao existe o povo mocambivcano so porque estamos em democracia...kakakakakakaka.... VAMOS FALAR A SERIO!

28/11/08 5:43 da tarde  
Anonymous Nuno Amorim said...

Relativamente ao discurso da fraude, camiões transportando pessoas ou tolerância de ponto ao nível nacional no dia das eleições, gostaria de por em análise o editorial do Jorna Lúrio, datado de 26 de Novembro de 2008.
"a Frelimo não pode ser crucificada pelo simples facto de ter desalojado a perdiz de alguns Municípios. Só pode ser aplaudida pelo facto de ter feito um trabalho de base sério, maduro e com responsabilidade.
A Renamo não pode ser culpada por ter perdido estrondosamente nestas eleições autárquicas. Só pode ser aplaudida pelo facto de ter feito um trabalho de topo a base , sem coerência, sem a visão aglutinadora de uma juventude que poderia contribuir para sua afirmação na base.".
Caros, aqui está um discurso de um apartidário que analisou as patologias e virtudes dos maiores concorrentes as eleições autárquicas.
Dr. Serra, a sua insistência em discursos fraudulentos já não convence a ninguém…desculpa, ainda convecem a Tony Cipriano que está em Belo Horizonte, BRAZIL. Deve estar na época do carnaval
Orgulhosamente Moçambicano, Nuno Amorim

29/11/08 4:11 da manhã  
Anonymous Nuno Amorim said...

Caro António,
Já te disse para não teres o canal de Moçambique como fonte… "Ontem li, no Canal de Moçambique trecho da entrevista de um cidadão de Nacala, ameaçando fazer levantes caso a verdade não seja reposta". Por aquilo que provei ser a idoneidade deste jornal, a informação pode ter sido do candidato derrotado, do delegado distrital da Renamo ou invenção do próprio jornalista.
Meu irmão, fie-se na virgem e não corras.
Abraço amigo
Orgulhosamente Moçambicano, Nuno Amorim

29/11/08 4:18 da manhã  
Anonymous Nuno Amorim said...

Caro Antonio, mais uma prova da fidelidade das tuas fontes.

1. Detido ex-ministro António Munguambe
Maputo (Canal de Moçambique) –
O ex-ministro dos Transportes e Comunicações António Munguambe foi detido ontem à tarde por ordem da Procuradoria Geral da República que através do Gabinete Central de Combate à Corrupção se encontra a investigar as denúncias que os trabalhadores…(NR.: Leia-se outra notícia sobre este mesmo tema, nesta edição. (Fernando Veloso) Maputo (Canal de Moçambique) – consulte ao Canal de Moçambique de 23 de Outubro 2008. Resultado, foi invenção do jornalista e nada lhe aconteceu. Pelo contrário, pessoas cultas como vossa excelência ainda o tem como fonte. O Dr. Carlos Serra não se recordou de questionar a seriedade dos nossos jornalistas.

2. Munícipes de Nampula prometem apenas a justiça Nas eleições de Novembro próximo

Nampula (Canal de Moçambique) -Munícipes residentes nas seis autarquias de Nampula, nomeadamente cidade de Nampula, Angoche, Monapo, Ilha de Moçambique, Nacala-a-Porto e a nova de Ribaué prometem fazer justiça nas eleições de 19 de Novembro próximo. Segundo apurou a nossa reportagem, para os munícipes não basta que as pessoas gastem o que tem para os iludir, mas sim
façam o melhor para a população que lhes garante e/ou lhes dá a confiança nos pleitos eleitorais(…)Numa ronda efectuada pela nossa reportagem nas referidas autarquias, ficamos a saber o favoritismo de cada candidato e respectivo partido. Por exemplo no município de
Angoche, o actual edil goza de um favoritismo enorme relativamente aos outros candidatos de outras formações políticas, assim como a Renamo segue em frente em termos de carisma popular. Esse
é o sentimento que parece prevalecer(…).Enquanto isso, na Ilha de Moçambique, as coisas não parecem muito diferentes. Gulamo Mamudo diz-se do povo e afirma que o povo vai conduzi-lo de novo no cargo que ocupa porque ele fez e merece(…). E lá para as chamada zona económica fica o município ferro-portuário de Nacalaa- Porto, onde como acontece nos outros municípios sob liderança da Renamo o povo também parece estar de pedra e cal com o respectivo edil(…).Entretanto, já na capital do norte, a cidade de Nampula, a disputa é enorme e a luta será com certeza renhida. Castro Namuaca, actual edil, já conhecido do povo não goza de muita popularidade (Se gozasse de popularidade, não sei qual seria o resultado)(...) Ricardo de Oliveira é o candidato da Renamo, homem bem conhecido pelo povo. Já trabalhou em diversos sectores e o seu empenho por onde andou é reconhecido como “sempre positivo”. É uma esperança para muitos eleitores. Mas há em Nampula um outro favorito. Tratase do candidato do PDD também conhecido como o partido dos pangolins. Chama-se Isidro Ali. É bastante conhecido. Quando trabalhava numa ONG internacional nunca se esqueceu do povo e os seus dotes estão a ser relembrados. (Aunicio da Silva) consulte ao Canal de Moçambique do 24 de Outubro 2008. Resultado, a Frelimo ganhou em todos municipios de Nampula.

Meu caro, não me importa o partido político que esteja no poder. A verdade é que já não acredito na boa parte dos jornalistas Moçambicanos. Infelizmente, V.Excia e o Dr. Serra ainda usam as suas menticias como fontes de debate…as vossas fontes utilizam os respectivos meios de comunição para desinformar o povo, a favor dos respectivos partidos politicos.

Orgulhosamente Moçambicano, Nuno Amorim

29/11/08 4:23 da manhã  
Blogger zenaida said...

Caro Nuno Amorin e caro anonimo que escreve com letras maiusculas. Tenho vindo acompanhar os vossos comentários, com todo respeito pela vossa opinião, e alguma decepçao pela forma desagradavel com que se têm dirigido ao autor deste blog. As afirmações que indicam que camiões transportaram pessoas, foram feitas públicamente e todos vimos e ouvimos os autores das mesmas. O prof. Serra apenas trouxe os extractos aqui pra este espaço pra que todos nós possamos analisa-los (de forma insenta ou não)...Ora bem! Eu lamento muito que os Srs nao consigam analisar, repito ANALISAR (de forma insenta ou não) os discursos do autor de tais acusações (que não se chama Carlos Serra) e em vez disso, tenham optado por vir 'bombardear' aqueles que gostam de debater assuntos e ideias e não PESSOAS. As suas questoes sao muito bem feitas, sr anonimo. O sr quer saber onde estao as provas da existência de tais camiões e pessoas transportadas... Muito bem! Está de parabens por trazer este rol de perguntas a este forum. Infelizmente...o seu problema foi ter colocado as perguntas à pessoa errada...ah! Antes que me esqueça, não é mal algum não concordar com as ideias dos outros, mesmo que nesses 'outros' se inclua o prof. Serra. O mal, aliás, horrivel e até 'pecado' é acusar em falso..

29/11/08 6:50 da tarde  
Anonymous Nuno Amorim said...

Cara Zenaida,
Queria chamar atenção a responsabilidade na escolha dos temas a dar ênfase. Os meios de comunicação são indispensáveis para uma sociedade democrática, mas também já nos trouxeram muita desgraça. Os conflitos hutus e tutsis foram incendiados pelos meios de comunicação social…todos vimos os casos da Nigéria, Quénia, etc…Acho que ninguém quer o mesmo para Moçambique.
Por isso queria pedir muita responsabilidade na escolha dos temas e nos comentários que fazemos. Não procuremos fraudes onde não existem e acho que não devemos andar atrás de camiões fantasmas. Estamos a fazer críticas antes da CNE pronunciar-se oficialmente. Insisto que, em função de dados imparciais, provavelmente deveria existir uma segunda volta em Nacala e/ou Gorue.
Ninguém apareceu a comentar as declarações didácticas dos candidatos derrotados nos Municípios da Beira, Maputo, Matola, etc.
Orgulhosamente Moçambicano, Nuno Amorim

2/12/08 12:08 da tarde  
Anonymous João atento aos malandros said...

Cá temos outra vez o reaças armado aos gangarelhos de régulo com a história dos tutsis a tentar silenciar o que lhe incomoda e aos acílitos. Pois é, "didácticas", seu malandreco de uma figa, orgulhosamente reaças.

2/12/08 12:52 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

João PIDE atento a muita coia. Que sujeito mais nojento!

2/12/08 5:23 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home